E6b4f8e9 7c2f 4c0b b37f 4f859ff9a1dd

Para assegurar o diagnóstico correto e promover o tratamento para o pé torto a Secretaria de Estado de Saúde (Sesau) organizou nesta sábado um mutirão de triagem que reuniu 150 pacientes oriundos de todo o Estado de Alagoas.

Segundo o médico ortopedista responsável pela iniciativa, Rogério Barbosa, o esforço visa identificar crianças, de até 12 anos, que estejam aptos a realizar o tratamento. “Com o diagnóstico correto os pacientes são encaminhados para realizar o tratamento pela técnica de Ponseti, que consiste na manipulação e engessamento do membro e dura de seis a oito semanas”, explicou o médico.

Rogério destacou que essa técnica possui vantagens clínicas por evitar dores e não deixar cicatrizes. “A técnica é indicada preferencialmente para pacientes até dois anos de idade. Estendemos esse limite para doze anos que farão parte de um estudo científico da técnica”, ressaltou o ortopedista.

O mutirão teve a participação de acadêmicos do curso de medicina da Universidade Tiradentes que atuaram na triagem sob a supervisão de profissionais. “A participação da Liga Acadêmica de Ortopedia é essencial, tanto para o sucesso da empreitada quanto para o enriquecimento acadêmico dos estudantes”, reforçou Rogério.

  Entre os pacientes consultados o jovem Davi, de apenas um ano e seis meses, recebeu o diagnóstico de pé torto e será encaminhado para tratamento. “Trata-se de um caso típico de pé torto que tem uma grande chance de sucesso”, animou-se o médico.

Acompanhado por sua tia na triagem o pequeno agora tem a oportunidade de um tratamento correto que fará uma diferença enorme em seu futuro. “Garantir a postura correta e resolver problemas de locomoção trazem um impacto incrível na vida de todos, e é a para isso que todos aqui abraçaram a missão de garantir uma vida melhor para a população”, reforçou Rogério Barbosa.