Foto: Fillipe Lima / Cada Minuto E889f320 14d9 4acd b322 cf53e5713ffa João Dória é homenageado em Maceió

Afirmando que não está em Maceió como pré-candidato à presidência da República, o prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), adotou um discurso de presidenciável na tarde desta sexta-feira, 27, ao falar para políticos, empresários e jornalistas durante um almoço promovido pelo setor produtivo de Alagoas, no Hotel Ritz Lagoa da Anta. O tucano também recebeu o título de Cidadão Honorário de Maceió da Câmara Municipal.

Em sua fala para a plateia e em entrevista coletiva à imprensa após o evento, Dória não poupou críticas à esquerda, ao PT e, especialmente, ao ex-presidente Lula (PT), a quem chamou de covarde e mentiroso: “Nove processos, uma condenação... Vai pagar na cadeia... É questão de tempo e já disse: vou visitá-lo em Curitiba e levarei chocolates para ele”.

O prefeito de São Paulo contou que a motivação de ter se tornado político foi a mazela deixada pelo governo do PT na presidência. "Se não fosse o impeachment, estaríamos decretando a falência social e econômica do Brasil", analisou, discorrendo também acerca de alguns temas polêmicos, como as privatizações e a reforma da Previdência, duas bandeiras apoiadas por ele.

 

 

“Viva a Lava Jato, viva Sérgio Moro, esse herói brasileiro que vem mudando a história do país a partir do processo que está liderando... Acreditem no seu país, acreditem no futuro que está muito mais próximo que vocês podem imaginar”, destacou em outro trecho do discurso, lembrando o pleito eleitoral de 2018.

2018 em 2018

Durante a entrevista coletiva, realizada após receber o título das mãos do propositor, vereador Chico Holanda (PP), Dória foi questionado sobre uma possível candidatura em 2018, mas disse que ainda é cedo para falar no assunto: “2018 em 2018. O que posso garantir é que o PSDB estará unido, eu, o governador Geraldo Alckmin e todos que tenham interesse pelo Brasil”.

Sobre a provocação feita por Lula, nas redes sociais, de que Dória “fugiria” do cargo caso se candidatasse a presidência, o prefeito respondeu: “Eu não fujo de nada na minha vida. Quem é fugitivo é o Lula... Quem pediu para ser nomeado ministro com medo de ser preso? Eu o Lula? O Lula é um covarde”.

Dória contou que estava honrado em se tornar Cidadão Honorário de Maceió, principalmente por estar ao lado do prefeito Rui Palmeira (PSDB), com quem já tem conversado sobre a realização de programas conjuntos, principalmente na área da saúde e educação. “Vale lembrar que São Paulo é a maior capital alagoana fora de Alagoas”, afirmou, se referindo aos maceioenses e alagoanos em geral que moram na cidade.

Perguntado sobre a polêmica provocada pela concessão do título, o prefeito de São Paulo negou que ela tenha existido: “Não houve... Tanto que eu recebi o título. Se tivesse havido eu não teria recebido... Aos esquerdistas, o meu desprezo”, finalizou, creditando a eles – os esquerdistas - as críticas de que não merecia a homenagem por não ter serviços prestados a Maceió.

Sem monopólio

Também em conversa com jornalistas, Rui Palmeira negou que a vinda de Dória a capital alagoana signifique alguma articulação política, confirmou que o partido terá candidaturas fortes ao governo e ao senado no ano que vem, mas não deu pistas sobre qual será sua participação no pleito.

 “Quem lançou minha candidatura foram os meus adversários... Eles são os que mais falam nisso... Certamente vou participar do jogo político, vamos articular um palanque forte, mas, agora estamos focando na cidade, 2018 a gente cuida em 2018... Mas, vamos ter uma opção. Podem ter certeza que não haverá o monopólio dos Calheiros em 2018”, finalizou.

*Estagiário