Foto: Assessoria C35ee0e9 b539 4b0d 90cd 6e763f9dfb0a

Uma comissão de guardas municipais de Maceió esteve na sessão ordinária da Câmara Municipal de vereadores, nesta quinta-feira (26), e ouviu do presidente da Casa, Kelmann Vieira (PSDB), o compromisso de que nenhuma mensagem do Executivo, instituindo o Plano de Cargo e Carreiras (PCC) da categoria será votado antes de haver um amplo debate entre os servidores, a prefeitura e o Legislativo municipal.

De acordo com a subinspetora da Guarda Municipal, Maria Quitéria, os guardas tiveram acesso a uma suposta minuta do PCC que está sendo elaborado pelo Executivo que, se os termos do documento forem verdadeiros, “continuará criando sérios problemas de hierarquia na corporação”.

“Hoje, a Guarda possui mais de 700 membros, que são dos concursos de 1996 e de 2000. Infelizmente, a prefeitura deu aumento aos guardas que tinham somente a 8ᵊ série. Para quem tem o Ensino Médio, não houve acréscimo nos salários, e isso já criou um problema grave de hierarquia, atrapalhando sensivelmente o trabalho da Guarda. Agora, depois de elaborarmos uma proposta de PCC para discutirmos com a prefeitura, tivemos acesso a uma minuta do projeto do Executivo, que deixamos claro não termos certeza de ser o documento original. Porém, se forem estes os termos propostos pela prefeitura, teremos ainda mais problemas dentro da corporação. Há muitos aspectos que questionamos, mas um dos mais preocupantes é que garante a promoção na Guarda por meio de processo seletivo. Dessa forma, quem é guarda poderá fazer uma prova e ascender na corporação antes de um subinspetor”, destacou ela. 

“A Casa recebe os guardas municipais e já se coloca à disposição da categoria para fazer a interlocução entre a categoria e o Executivo. Embora não saibamos se a minuta seja verdadeira ou não, é preciso discutir e debater um tema tão importante para estes servidores. De toda forma, vocês têm o compromisso de que nada será votado nesta Casa de forma apressada e sem amplo diálogo”, declarou Kelmann Vieira (PSDB).