Ascom ALE 206802d1 50c5 4565 a52e 48326df2345d Fornecedores assistiram sessão da galeria

Com faixas e cartazes, empresários credores da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) protestaram, na galeria da Assembleia Legislativa (ALE) contra o não pagamento de processos oriundos desde 2015. A presença do grupo foi um dos pontos abordados pelo deputado Bruno Toledo (PROS) na sessão desta terça-feira, 24.

 “Não é a primeira vez que trago essa discussão para a Casa, mas não há perspectiva de resolução dos problemas, os empresários não têm sequer direito de sonhar em resolver seus problemas... É um dever nosso alertar sobre essa imoralidade e cobrar que essas pessoas recebam pelo que já entregaram”, destacou Toledo.

Em aparte, o líder do governo, deputado Ronaldo Medeiros (PMDB) disse que não houve nem haverá calote e que o secretário da Saúde, Christian Teixeira, garantiu que irá pagar a todos os fornecedores, indistintamente.

“Dos 5.998 processos de pagamento que existiam, já foram pagos 1.536... Não tem favorecimento. A gente sabe o clima que aconteceu na Sesau em Alagoas... O secretário está analisando processo a processo e com certeza vai pagar todos que são devidos. Ele garantiu. Não se pode afirmar que o governo irá dar calote. Vai liquidar todos os processos que sejam legais, mas cada processo tem que ser analisado... estão em fila e serão pagos”, afirmou Medeiros.  

Também em aparte, Rodrigo Cunha (PSDB) lembrou que vem acompanhando a “saga” dos fornecedores da Saúde desde o começo do governo: “São pessoas que já prestaram serviço, entregaram o produto, já tiveram despesas, prejuízos... Vamos em três anos de gestão e o governo já confessou que está ciente do problema e não consegue resolver”.

O tucano anunciou que formalizou uma denúncia junto ao Ministério Público Estadual (MP/AL) para que se averigue onde está o “gargalo” da saúde.

Fogo amigo

Além das cobranças referentes ao pagamento dos empresários que forneceram materiais para a Sesau, Bruno Toledo também ironizou que o governo não precisa de oposição, mencionando o embate recente entre a Secretaria de Esportes e Lazer (Selaj) e a Uncisal por conta da utilização do Cefire. “A oposição está dentro do próprio governo”, afirmou, criticando a postura da secretária Claudia Petuba em fechar as portas do Centro.

Outro tópico levantado por Toledo na tribuna da Casa foi a exoneração do empresário Álvaro Vasconcelos da pasta da Agricultura: “Foi um lamentável episódio... Não sou amigo dele, mas tive oportunidade de trabalhar com ele no Fecoep em alguns momentos e vi a forma séria que ele conduzia a pasta”.