Foto: Reprodução/Facebook A5a88e3c f5b1 4ded 870d 60aa4eaf8eaa Márcia Rodrigues Farias

Apesar de o exame residuográfico detectar uma elevada quantidade de resíduos característicos e indicativos de disparo de arma de fogo na jornalista Márcia Rodrigues, a sua família aguarda a realização de um novo laudo pericial. A tese de suicídio foi contestada logo depois que a Perícia Oficial do Estado apresentou o laudo.

O principal ponto questionado pela família e o advogado de defesa é sobre a quantidade de tiros encontrados no corpo e também no quarto. De acordo com o advogado Leonardo Moraes, foram encontrados quatro disparos de arma de fogo “o que não existe em nenhuma nomenclatura que aponte um suicídio com essa quantidade de tiros”.

Leia mais:  Inquérito policial aponta que morte de Márcia Rodrigues foi suicídio

Leiamais: Laudo de exame residuográfico confirma tese de suicídio

A data para a realização do novo laudo ainda não foi agendada, mas a família pede celeridade. Conforme o exame realizado no Instituto Nacional de Criminalística em Brasília, o laudo aponta centenas de resíduos, tanto na mão esquerda, como na mão direita da jornalista Márcia Rodrigues, confirmando a tese de suicídio.

 Já nas amostras coletadas pelo perito no pai da vítima, o delegado aposentado Milton Omena Farias, o resultado deu negativo. Milton é apontado pela família como autor do crime.  O delegado foi morto a facadas pelo neto em um condomínio situado na cidade de Paripueira.