Agência Alagoas B6dfceb8 1230 4234 89d7 cd5ee78a2539

Em parceria com o Sesc a Secretaria de Estado de Saúde (Sesau) promoveu neste domingo uma série de ações dando sequencia as atividades do  Outubro Rosa. A ação aconteceu na parte fechada da praia de Ponta Verde e buscou trazer conscientização sobre o câncer de mama.

Durante a iniciativa foram distribuídos folders informando sobre os fatores de risco para o câncer de mama e quais os sintomas que podem identificar a doença.

O evento contou com a presença do secretário de saúde, Christian Teixeira, que destacou a importância da prevenção para o combate ao câncer de mama. “A gestão estadual de saúde está comprometida em trazer para toda a população informação e assistência, ampliando a saúde e bem estar de todos”, destacou Christian.

 

Segundo Carmen Nascimento, que responde pelo Programa Estadual de Saúde da Mulher, ressalta que o diagnóstico precoce é a forma mais eficaz de aumentar as chances de cura. “Além do autoexame, as mulheres devem fazer a mamografia, porque o diagnóstico precoce é fundamental para evitar o agravamento da doença”, salientou.

O evento contou ainda com a aferição de pressão e a presença de uma nutricionista que falou para os participantes sobre a importância de uma alimentação saudável.

“O sobre peso é um dos fatores de risco para o câncer de mama e por isso é importante que todas as mulheres busquem uma alimentação balanceada e procurem praticar atividades físicas regularmente”, destacou a nutricionista Rafaela Albuquerque.

Já a turista de Minas Gerais, Maria da Penha, elogiou o trabalho dos técnicos. “Sempre realizo exames regularmente e é essencial que os órgãos públicos incentivem o cuidado entre as mulheres. Todos os envolvidos estão de parabéns”, reforçou Maria.

Estimativa – Carmen Nascimento ressaltou que a estimativa da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) é de que 520 novos casos de câncer de mama possam ser diagnosticados em Alagoas este ano. O número tem como fonte os estudos feitos pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca) e o Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM).