Foto: Caio Loureiro/Ascom TJ 1ee18f57 5e17 4112 8700 a689700efc77 Julgamento do réu João Beltrão

O Procurado Geral de Justiça de Alagoas Alfredo Gaspar de Mendonça praticamente fez uma linha do tempo quando lembrou no Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), na manhã desta terça-feira (17), os crimes aos quais o deputado João Beltrão foi denunciado. 

Dos crimes listados estão as mortes do delegado Ricardo Lessa, Silvio Viana, Pedro Arapiraca, Dimas Hollanda e do cabo José Gonçalves da Silva Filho, crime este peça da denúncia apresentada pelo Ministério Público Estadual (MPE).

Todos eles, segundo Alfredo Gaspar foram praticados por motivo de vingança. “Tenho a certeza em dizer hoje, que os senhores não estão em julgamento comum. Estão no julgamento do maior líder do crime organizado de Alagoas, que tem a certeza inteira da impunidade”, relatou Gaspar. 

Na sustentação da denuncia, o procurador contou em detalhes o crime que vitimou o cabo José Gonçalves da Silva Filho, conhecido como cabo Gonçalves, morto no dia 9 de maio de 1996, por volta das 11h, na pista do Auto Posto Veloz, situado às margens da Avenida Menino Marcelo, em Maceió.