Luzamir Carneiros JGNoticias 2363a4b1 c23d 420d acfa eb3ec28f0157 Procurador Geral do município, Michel Galvão (em pé) e Adriano Barros na busca de solução

 Em Joaquim Gomes, o prefeito Adriano Barros acaba de receber uma notícia mais indigesta do que nunca para o seu governo. Simplesmente a Receita Federal está aplicando uma multa milionária superior a 11 milhões de reais, contra a Prefeitura. Isso porque o município teria no final de 2015 e todo o período de 2016 praticado uma compensação indevida, ou seja, compensação com falsidade, o que seria uma forma de buscar junto a Receita um direito que não era legítimo.

Toda bronca está sendo atribuída ex-prefeita Ana Genilda Costa.  Isso porque através de um escritório jurídico, ela acionou o órgão para tentar de forma falsa dizer que teria um direito a devolução de INSS, alegando que o município teria pagado a mais do devido, razão que ficou sem repassar todo valor recolhido de INSS dos servidores para o Governo; e quando percebido, a Receita Federal  aplicou uma multa de 150% do valor da dívida, que somando alguns meses de 2015 com todo ano de 2016 ultrapassa a casa dos 11 milhões de reais -isso apenas de multa.  

Para o prefeito Adriano Barros, que agora no dia 10, não viu sequer a cor do repasse do FPM do município, retido pela Justiça, -trata-se de um valor impagável, e que não encontra solução para quitar tal débito, visto que os 11 milhões são apenas da multa; e quando se fala no débito real, o montante é absurdo, disse. Por enquanto, o prefeito acionou seu departamento jurídico que promete responsabilizar a ex-prefeita e tentar junto aos órgãos competentes uma maneira de renegociar a situação, sobretudo para que  Joaquim Gomes não mergulhe profundamente num colapso financeiro.

Com informaões do site JGNoticias