Assessoria 31dd07eb de0a 4e58 a36d 9dc1d55a0eea Deputado federal Pedro Vilela

Além das negativas do ex-governador Teotonio Vilela Filho (PSDB) em relação a uma possível “aliança branca” com o senador Renan Calheiros (PMDB), quem também rechaçou essa possibilidade foi o deputado federal Pedro Vilela (PSDB). 

Em algumas notas na imprensa, Pedro Vilela - que é sobrinho do ex-governador - foi colocado com uma das “peças” do acordo. Ele deixaria de disputar a vaga na Câmara de Deputados para ser indicado como possível vice de Renan Filho (PMDB) na disputa pelo governo. 

Aí, nem mais aliança branca seria. Pedro Vilela classificou a nota como um “completo absurdo sem sentido”. “Isso não existe. Nunca conversei isso com ninguém do PMDB e nunca me foi feito convite algum. Não há esse diálogo. Eu serei candidato à reeleição”, afirma o tucano. 

Vilela se encontra no primeiro mandato na Câmara de Deputados e - em Brasília - se alinhou ao grupo tucano chamado de “cabeças pretas”, que é composto pelos deputados mais jovens do PSDB. Se bem que Vilela diz que trabalha para acabar com essas separações. 

O parlamentar está convicto de disputar a reeleição e diz que o partido tem bons quadros para o processo eleitoral vindouro, citando inclusive Rodrigo Cunha (PSDB). Cunha é atualmente deputado estadual, mas pode disputar uma das cadeiras de Brasília. Na avaliação e Vilela, há espaço para isso, logo, Cunha não precisaria sair do partido para tanto. 

O PSDB local - depois de tantas conversas de bastidores - busca mostrar uma unidade e posição definida: 1) é oposição; 2) o bloco está conciso em apoiar a candidatura do prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB) ao governo o Estado; 3) não há diálogo que ameace isso e 4) a aproximação com Renan Calheiros não passa de boatos alimentados por “fogo amigo” e/ou por adversários. 

Estou no twitter: @lulavilar