Ed6ff533 5937 4f17 aaeb 27bf9fec5e37

A destituição da presidente do Conselho Municipal de Saúde de Arapiraca, Maria Aparecida dos Santos, decisão considera  arbitrária foi i principal assunto da sessão ordinária  da Câmara Municipal  de Arapiraca, nesta terça feira (10) Na sessão, aconteceu a Tribuna Livre. Na sessão ficou definido que o a Comissão de Saúde da Casa, vai investigar o afastamento.

A servidora pública, foi penalizada por três meses, por se recusar a viajar de volta a Arapiraca, junto com pacientes de hemodiálise, Segundo ela, para não por em risco a saúde dospacientes, já que o processo fragiliza as defesas e debilita a resistência dos pacientes. Como se não bastasse, o transporte que os levara ficou esperando até às 17 horas com os pacientes dentro do carro.

Detalhe: eles chegaram pela manhã em Maceió, fizeram a sessão de hemodiálise e, sem refeição ou atenção alguma, foram obrigados a esperar as integrantes do Conselho saírem de um evento, para, então, todos retornarem à Arapiraca. A presidente do Conselho se indignou com o tratamento sofrido pelos pacientes e, imediatamente, pediu que o transporte voltasse os trazendo de volta.

Ela e outras duas integrantes do Conselho de Saúde e representantes comunitárias se recusaram a voltar no mesmo veículo, devido à fragilidade dos pacientes, que poderiam ser infectados com a presença das integrantes do Conselho, que vinham de lugar não esterilizado, justificou Aparecida.

 Em razão disso a vereadora licenciada e secretária de Saúde, Aurélia Fernandes, a ‘Coronel de saias’, segundo falaram integrantes dos conselhos e entidades de classes, sentiu-se ofendida e, segundo Aparecida Santos, foi a causa da represália da titular da pasta da saúde.

O que ocorreu na sess~~ao do Leigislativo na noite destaA TERÇA-FEIRA, (10) foi um ato de solidariedade de todos os vereadores e vereadoras presentes, independente das diferenças políticas. Eles pediram a revisão, pelo presidente interino do Conselho, da destituição da presidente do conselho que todos acharam, no mínimo, ‘imoral’. A Comissão de Ética aplicou uma suspensão de três meses de afastamento da servidora Aliás, ela só tem mais dois meses de mandato. Porém a pena aplicada ultrapassa o período da sua gestão.

Dirigentes do conselho repudiam

Por fim, o resultado foi o repúdio demostrado pelos dirigentes de conselhos, dirigentes de partidos politicos e da sociedade civil organizada, presentes à tribuna livre. Inclusive o pedido de revisão da decisão e a volta da ex-presidente ao posto de presidente do Conselho Municipal de Saúde.

Todos os vereadores presentes pediram que a Comissão de Saúde da Câmara tome as devidas providências, o que foi ratificada pela presidente, vereadora Graça Lisboa, que aproveitou para testemunhar o voluntarismo e o compromisso que a penalizada Cida do Bolo tem perante suas ações em benefício de Arapiraca, completou, Graça Lisboa.