foto: arquivo/Cada Minuto 599152ea 1c85 4bc6 ab15 3bc449092104 Teotônio Vilela Filho (PSDB)

O ex-governador de Alagoas, Teotonio Vilela Filho (PSDB), já trabalha como candidato ao Senado Federal e - sem mandato eletivo - usa as armas que tem.  O guia eleitoral do partido é um bom exemplo disso. E para bom entendedor, meia palavra basta.

O PSDB de Alagoas poderia ter focado no prefeito de Maceió, Rui Palmeira, por dois motivos: 1) é a gestão atual de um virtual candidato ao governo do Estado de Alagoas; 2) daria visibilidade a um nome que declaradamente é oposição ao governo do Estado de Alagoas e capitaneia um grupo que quer ver a sua candidatura ao governo. Não o fez. 

O cacique Vilela preferiu - e óbvio que a decisão deve partir dele ou dos mais próximos a ele - investir em si mesmo, resgatando os feitos do governo estadual anterior ao de Renan Filho. É a segunda vez que a estratégia é utilizada. 

Na primeira, logo no início de setembro, Vilela foi ao guia para ressaltar a atração de indústrias, geração de empregos e investimentos em infraestrutura. Teotonio Vilela ainda apareceu no guia buscando novas filiações. 

Agora, em outubro, o foco foi Saúde. Também é estratégico. Afinal, recentemente, o governo de Renan Filho se viu alvo de críticas na pasta da Saúde, inclusive com uma Operação da Polícia Federal que atingiu em cheio o Executivo. Vilela fez o contraponto das gestões, ainda que sem citar o adversário. Na política não há ponto sem nó. 

Isso exclui a possibilidade de uma “aliança branca” entre Teotonio Vilela Filho e o senador Renan Calheiros (PMDB)? Claro que não! Mas isso busca mostrar um Teotonio Vilela vivo, seja nos bastidores ou diante dos holofotes. A estratégia política de Vilela - que é uma esfinge silenciosa que sabe mergulhar e reaparecer na política alagoana - está correta. Se, no mérito, as propagandas dizem a verdade ou não, aí é outra história. 

Estou no twitter: @lulavilar