Assessoria F7cabc48 f339 45fa b3b9 01f8ec1b9b19 Governo reinaugura escola no Cepa, em Maceió

O governador Renan Filho (PMDB) lamentou, nesta manhã (9), que na gestão do ex-governador Teotônio Vilela Filho (PSDB) não haviam recursos para fazer a manutenção das escolas públicas estaduais e que isso fez muita falta. De acordo com Renan, hoje é possível garantir este serviço por meio do programa “Escola da Hora”, iniciativa da secretaria da Educação (Seduc). 

A afirmação foi feita durante a reinauguração de uma das mais tradicionais escolas do Centro de Estudos e Pesquisas Aplicadas (Cepa) e da rede pública estadual, a Escola Princesa Isabel, em Maceió. A unidade que, desde o ano passado oferta o Ensino Médio Integral, passou por reforma e foi reinaugurada totalmente recuperada, beneficiando cerca de 400 estudantes.

Segundo a Seduc, a Escola foi beneficiada com os serviços de retelhamento, pintura, recuperação das partes hidráulica e elétrica, além da construção de áreas de acessibilidade e de um ginásio. A unidade de ensino também recebeu aparelhos de ar condicionado, kits de robótica e 21 novos computadores para o laboratório de informática.

Manutenção garantida 

Segundo Renan Filho, é por meio do “Escola da Hora” que são repassados recursos para a manutenção das unidades da rede estadual. 

“De tempos em tempos o Estado tem sim que fazer a recuperação. O ex-governador Ronaldo Lessa, por exemplo, fez muitas recuperações, construções e reconstruções de escolas, mas depois dele ficou muito tempo sem recuperar as escolas em Alagoas e isso fez falta”, destacou.  

De acordo com o Renan, o vice-governador e secretário de Estado da Educação, Luciano Barbosa (PMDB), vem dando uma ênfase muito grande para a recuperação de escolas e também tem conseguido recursos para manutenção. Renan garantiu que o governo já está repassando recursos para os diretores das escolas do Estado fazerem o pequeno conserto e que haverá a manutenção periódica por meio da Seduc. 

“Muitas vezes, o próprio diretor pode fazer o pequeno conserto, não precisa vir à secretaria de Educação. E essa descentralização de recursos tem ajudado muito. Nós já temos passado recursos para os diretores e já chegamos a marca de R$ 30 milhões enviados diretamente para a direção das escolas para manutenção da sua estrutura”, disse.