ABN Fd485f20 b7f7 4425 a5d5 c74e2f2b9a32 Marx segue focado na campanha para o Senado em 2018

atualizada às 21h09

O ministro do Turismo, Marx Beltrão (PMDB) já está com as malas prontas para deixar o partido e em seguida deve confirmar oficialmente sua candidatura ao Senado por Alagoas, em 2018. Segundo uma fonte peemedebista de Arapiraca, Marx vai migrar para o PSD, partido que é comandado pelo irmão, Maykon Beltrão, ex-prefeito de Feliz Deserto (2009-2016).

A estratégia dos Renans de convencer Marx a desistir de sua candidatura para não prejudicar (em tese) a tentativa do senador Renan Calheiros (PMDB) de se reeleger, não deu certo. O acordo seria para que Marx fosse ou indicasse o vice do governador Renan Filho (PMDB) na campanha de reeleição, mas tudo não passou de especulação e todos vão acabar no mesmo palanque.

O ministro, que também é deputado federal, quer ir para a disputa ao Senado aliando-se aos Renans, ou seja, vai deixar o PMDB apenas para que o partido tenha poder de barganha com outras legendas na formação do ‘Chapão’, coligação que pode consegui unir aproximadamente vinte legendas. Na prática, Marx passa a ter controle sobre seu próprio partido e ainda vai pedir votos para a família Calheiros, já que para o Senado o eleitor vai votar duas vezes no próximo ano.

Esta negociação também tem o aval do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, que comanda o PSD Nacional. A situação de Marx Beltrão passaria a ficar mais confortável, já que em cidades onde a rejeição ou o apoio ao senador Renan não for confortável, ele pode fazer a dobradinha com outro candidato ao Senado, como Teotônio Vilela Filho (PSDB) ou mesmo Benedito de Lira (PP). 

Especulação

Em resposta à postagem do blogueiro Paulo Marcelo, o ministro do turismo, Marx Beltrão, declarou ao Cada Minuto, na noite desta terça-feira (3),  que não está de saída do PMDB.

O ministro afirmou que está totalmente voltado para os programas e ações do Ministério do Turismo, no intuito de ajudar o país a gerar emprego e renda por meio do setor. Beltrão negou a saída do partido e disse que as reportagens eventualmente publicadas sobre os supostos movimentos político-partidários, envolvendo seu nome, não passam de especulações sobre as definições para as próximas eleições.