Ascom ALE/Arquivo 2e95668e 9c3e 4547 abbb eed98cfe339c Deputados no plenário durante sessão

Os deputados estaduais aprovaram a criação de uma Frente Parlamentar em defesa da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) durante a sessão desta terça-feira, 3, na Assembleia Legislativa (ALE), que girou em torno de críticas as privatizações propostas pelo governo de Michel Temer (PMDB) em Alagoas.

A Casa também será palco de uma audiência pública para debater o assunto, prevista para ocorrer no próximo dia 16 de outubro.  

Francisco Tenório (PMN), que subscreveu um dos requerimentos para a criação da frente, - foram apresentados dois, um de autoria de Ronaldo Medeiros (PMDB) e outro de autoria de Inácio Loiola (PSB) - destacou a importância do parlamento deixar clara a posição contrária à privatização da Chesf.

“Não dá para privatizar a companhia sem privatizar o rio, que é do povo”, pontuou, criticando a “falta de legitimidade” de Temer para propor as vendas e o fato de as privatizações estarem sendo utilizadas para cobrir o rombo nas contas públicas. “Não podemos aceitar e devemos levar essa posição à presidência da República”, afirmou Tenório.

Já Inácio Loiola classificou de “inexplicável” a intenção do governo federal colocar à venda parte da Eletrobras Alagoas e da Chesf. Ele lembrou que, entre 1953 a 2017 a Companhia do São Francisco investiu em torno de R$ 81 bilhões na construção de hidrelétricas, sem contar redes de transmissão, mas sua venda está subestimada entre R$ 12 e R$ 15 bilhões.