Bc43f8f4 d493 434f 9659 13850d096e01
Coração e estômago do lado direito. Fígado do lado esquerdo. Esses e outros órgãos, em lados trocados, foram um dos desafios na carreira do cirurgião alagoano, Antônio de Pádua, que participará do XVIII Congresso Brasileiro de Cirurgia Bariátrica e Metabólica que será realizado em Florianópolis, Santa Catarina, ente os dias 04 e 07 de outubro. O evento, promovido pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), contará com a presença de grandes nomes da área.
 
No congresso ele apresentará o trabalho Derivação Gástrica em Paciente com Situs Inversus Totalis, sobre um paciente com obesidade mórbida e que possui os órgãos em lados diferentes do convencional. “Imagine ter que operar alguém onde o coração fica do lado direito, assim como o estômago e o baço. Em 2016 realizei minha primeira cirurgia desse tipo, chamada de capela (gastroplastia y de roux) por videolaparoscopia”, contou o especialista em cirurgias bariátrica e metabólica.
 
Para realizar o procedimento, tudo no centro cirúrgico precisou ser invertido: a posição das ferramentas, dos médicos em relação ao paciente, a movimentação do instrumental dentro do paciente e até mesmo a mão que o médico usa para movimentar a ótica, pinças e bisturi. 
 
O “situs inversus” atinge apenas 0,01% da população. Este caso clínico, primeiro no Norte-Nordeste de gastroplastia por videolaparoscopia, fará parte de uma pesquisa realizada por um grupo de estudos que vem reunindo procedimentos em pacientes com a síndrome. 
 
Para o especialista, o congresso é mais uma oportunidade de trocar experiências. “Medicina é uma área que está em constante renovação. Conhecimento é a base do trabalho do cirurgião, que precisa de todas as informações disponíveis para conseguir resultados cada vez melhores para seu paciente”, disse Antônio de Pádua.