Agência Senado 5bbbed82 b94b 417a a999 7b9b812d03e8 Renan Calheiros

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) afirmou que Alagoas passa por um momento de esperança aos 200 anos de sua emancipação política, em parte fruto da ação social e de incremento da infraestrutura realizada pelo governo do Estado. A tese foi defendida durante pronunciamento nesta quinta-feira (28) no plenário do Senado.

O senador destacou entre outras ações a duplicação e restauração de rodovias no norte de Alagoas, "que estavam até então em condição intransitável". Ele também chamou a atenção para investimentos que estão sendo feitos na área da saúde pública, vista como prioridade pelo povo.

— Avança com celeridade a construção do Hospital Regional do Norte, em Porto Calvo. Esta obra tão relevante junta-se ao Hospital da Mulher e ao Hospital Metropolitano, ambos em Maceió, e a outros quatro hospitais regionais, em cidades como União dos Palmares e Delmiro Gouveia — disse.

Foi reiterado pelo senador em diversas ocasiões o fato de as políticas serem desenvolvidas com recursos próprios a cargo do governo estadual. Este compromisso por parte do governador Renan Filho torna possível segundo ele a manutenção do Programa do Leite, à despeito do governo federal ter cortado todos os repasses a esta política pública.

— Este programa compra leite do pequeno produtor a um preço justo e o distribui à população carente. É uma política que já tem mais de 10 anos, mas em 2017 surpreendentemente foi cortado pelo governo federal, que não executou um único centavo. É graças ao compromisso pessoal do governador que o programa mantém-se de pé — informou.

O senador abordou também em seu pronunciamento o papel que cumpriu durante sua última gestão na presidência do Senado (2015-2016), quando, por meio de ações legislativas, procurou auxiliar os Estados na superação da recente crise financeira. Citou entre outras votações a inclusão dos Estados na repatriação de ativos; a troca do indexador das dívidas e a suspensão por sete meses do pagamento destes débitos, que foram retomados em condição mais favorável; o acesso aos depósitos judiciais; a atualização do Supersimples e, por fim, a adoção por parte dos governos estaduais da sistemática referente à desvinculação de receitas.