Foto: Divulgação F39c09c6 ff17 4ab8 874b c09c5a707555 Natália Agra

A poeta e jornalista alagoana Natália Agra, fará sua estreia na poesia no dia 04 de outubro, na Bienal Internacional do Livro de Alagoas. De repente a chuva, faz parte do coletivo editorial paulistano Corsário-Satã.

O livro mostra uma poesia consciente de seu território linguístico e existencial, dos materiais políticos e poéticos, apontando para rumos mais densos, sofisticados e duros na poética brasileira contemporânea.

Nas palavras da poeta Marília Garcia, “Este livro se passa quase o tempo todo debaixo de nuvens. As nuvens pingam, depois se afastam um pouco para dar lugar ao sol – estamos deitados na grama – mas logo o céu desaba outra vez e volta a pingar. Assim, segue-se um ciclo, a chuva cai, pega a estrada, vira rio. A rua está molhada, estamos no inverno. Costura-se um inverno no outro, já estamos no segundo inverno. A trilha sonora é variada, mas ao fundo sempre a melodia de uma chuva intermitente, seguida às vezes por tempestade, luto, calmaria”

De repente a chuva se funda numa poética consciente de seus materiais criativos e das fissuras drásticas e tensões de seu tempo. Uma poética que, através de um lirismo comedido, sofisticado, nos abre amplas possibilidades de degustação do real. Experimentando muitas formas (como aquele jovem Gilberto Gil que Torquato Neto desenhou lá nos 60: “Há várias maneiras de se cantar e fazer música brasileira: Gilberto Gil prefere todas. Assim, ele se entende com o público.”), Agra alcança momentos de rara beleza, onde, do ordinário, o poético brota.

O livro não será distribuído em livrarias e as vendas acontecerão exclusivamente nos dois lançamentos (em Maceió/ AL e em São Paulo/SP) e através do correio.