Divulgação 63cfad76 7189 48b8 a561 249034ebe88e Dona Hermínia

Domingo, dia 24, o humor e o talento de Paulo Gustavo irão invadir o palco do Teatro Gustavo Leite, no Centro de Convenções, com o espetáculo Minha Mãe É Uma Peça. Há mais de onze anos na estrada, a turnê 2017 tem arrancado aplausos por onde passa. Em entrevista exclusiva ao CadaMinuto o artista falou um pouco da peça, do cenário do humor e seus planos para 2018.

CM: Depois de onze anos na estrada a Dona Hermínia tem alguma novidade para esta temporada?

PG: Dona Hermínia está na estrada viajando 16 cidades. O espetáculo é o mesmo, porém houve algumas modificações como figurino, cenário e texto. Em alguns pontos da peça houve uma readaptação para os termos atuais e novas piadas adaptadas para os dias de hoje.

CM: Dona Hermínia também é sucesso nas telonas. Como artista, qual a diferença entre o cinema e o teatro? Essa proximidade do público que só o teatro proporciona ainda te provoca “frio na barriga”?

PG: Frio na barriga é uma coisa que passa, mas, toda estreia é uma coisa complicada, você pode ter cem anos de carreira, mas ainda vai ter uma emoção diferente. Quando estamos em cartaz há muito tempo com a mesma peça agimos com mais naturalidade, porém uma plateia é diferente da outra, cada teatro também e quando estamos em turnê cada cidade é como se fosse uma nova estreia então isso pode causar um certo friinho na barriga. No teatro contracenamos para o público, no cinema falamos com a câmera, com marcação, as técnicas e a interpretação são outras onde podemos fazer algo mais minimalista. Já no teatro podemos fazer algo maior, temos que projetar mais os movimentos e os gestos. A resposta do público ali, na hora é imbatível. É muito legal abrir a cortina, fazer um espetáculo e ter o retorno do público na hora. Sem desmerecer a TV, minha predileção é teatro, é de onde vivo, de onde vim e meu sonho é viver do teatro para o resto da vida.

CM: Hoje em dia no youtube e outras redes sociais tem aparecido muitos humoristas e pessoas que tentam se lançar no mercado como tal. Como você avalia?

PG: Com a internet vieram muitas coisas divertidas e engraçadas. Essa é uma das coisas boas que a internet proporciona. Não sei se as pessoas que fazem os vídeos engraçados tem a pretensão de fazer cinema ou teatro, porque ‘o buraco é mais embaixo’. Existe toda uma técnica e estudo para subir num palco. Acho que alguns desses talentos ficam mesmo no lugar da internet, o que é maravilhoso também. Hoje em dia temos vários fenômenos que surgiram como Whindersson Nunes. O cara viaja o Brasil inteiro e enche teatros e casas de shows. A internet proporciona também a chegada de novos talentos. Na minha geração tem talentos maravilhosos como Tatá Werneck, Marcos Veras, Macus Magela, Samantha Schmütz, Cacau Protásio, Fábio Porchat e vários outros comediantes. Fico super honrado de fazer parte dessa geração de talentos.

CM: Quais teus planos para 2018? O que teu público pode esperar?

PG: Nos meus planos há dois programas no Multishow que são A Vila, que está em segunda temporada, o que faço com o maior prazer e me divirto muito com todo o elenco. Não sei se será o mesmo da primeira temporada devido à agenda das pessoas, mas com certeza outros colegar irão somar, assim como fizemos no Vai Que Cola e isso é muito legal. É muito bom receber amigos novos. Tem também um programa novo chamado A Ilha, que é um projeto do canal para a plataforma de internet e inclusive a Katiuscia e a Monique Alfradique vão estar, além é claro da turnê de Minha Mãe É Uma Peça que ainda tem muitas cidades para ir. Outro plano é um grande projeto de cinema que é um filme da Mônica Martelli “Os homens são de Marte e é pra lá que eu vou 2”, meu segundo longa e neste novo momento meu personagem cresce e eu fico ‘procagonistasso’ com ela no filme. Vai ser o máximo! Eu e Mõnica estamos escrevendo juntos e o filme terá cenas hilárias e divertidíssimas uma vez que além de ser muito amigo dela eu sou seu fã . A direção é da irmã dela, Suzana Garcia que também é uma pessoa maravilhosa e incrível. O filme é uma continuação onde no primeiro a Fernanda está à procura de um grande amor e no segundo ela já começa com o casamento em crise e mais uma vez a Mônica abre o diálogo para esse universo feminino que ela domina muito bem. Em 2018 pretendo ser feliz também e ter bastante saúde para continuar vivendo da arte do teatro, da TV e do cinema.

O Espetáculo

Em princípio, todo o texto que aborde de maneira sensível as relações familiares, especialmente de pais e filhos, já tende a garantir uma identificação com a plateia. Contudo, Paulo Gustavo transcende os estereótipos e clichês e com um olhar agudo, acessa de forma sensível o delicado e muito bem-humorado universo de Dona Hermínia. O ator ao adentrar nos meandros e melindres de Dona Hermínia e sua família, captados no texto, mas, sobretudo, nos jeitos e trejeitos dessa Mãe, está falando de todas as famílias brasileiras.

Mais ainda, a peça fala de afeto, de laços familiares que superam “entreveros” e “confusões”. Dona Hermínia é uma mulher madura, aposentada e sozinha, cuja maior ocupação é justamente procurar o que fazer, uma vez que seus filhos estão crescendo e não precisam mais de seus cuidados e broncas. É este o universo da personagem que, na falta de trabalho e romance e entre uma conversa e outra com a tia idosa, a vizinha fofoqueira e a irmã confidente, ainda precisa manter a sua condição de mãe às voltas e preocupada com problemas dos filhos.

O que pode faltar em “simpatia” a Dona Hermínia, sobra em graça. A personagem é divertidíssima. Bom para a plateia; afinal, rir dessas mulheres é um bom modo de não enlouquecer junto com elas.

Para este espetáculo, Paulo Gustavo, trouxe à tona a espantosa bagagem de suas experiências e observações domésticas, compondo com elas um espectro dos humores femininos, gestos, trejeitos, falas, atitudes, achaques e ataques, oferecendo uma minuciosa observação do cotidiano brasileiro que resultou numa comédia especialmente sensível e bastante divertida.

Serviço

Minha Mãe é Uma Peça

Teatro Gustavo Leite – Centro de Convenções de Maceió

Rua Celso Piatti, S/N – Jaraguá

Dia: 24 de setembro

Horário: 18h e Sessão Extra às 20h

Ingressos

Plateia A: R$ 140,00 (inteira) e R$ 70,00 (meia)

Plateia B: R$ 110,00 (inteira) e R$ 55,00 (meia)

Mezanino: R$ 70,00 (inteira) e R$ 35,00 (meia)

Vendas

Online: www.eventim.com.br

Livraria Leitura (Parque Shopping)

Loja Alethia (Maceió Shopping – térreo)

Soraya Farias Acessórios – Rua Engenheiro Mário de Gusmão, 507 Galeria Ponta Verde Center – Loja 19

Info: 82 3235-5301

Site: www.suechamusca.com.br

E-mail: info@suechamusca.com.br

Face: fb.com/suechamusca

Instagram: @suechamuscaoficial

WhatsApp: 82 99928-8675