Foto: Assessoria Ccdd2f28 7ef4 461c a983 8cb78b2bd1e1

A deputada Rosinha da Adefal recebeu do Confea, CREA e a Mútua, o troféu “Engenharia Acessível” pela sua trajetória de luta pela causa da pessoa com deficiência e em reconhecimento por sua atuação em defesa e promoção dos direitos da pessoa com deficiência. A entrega do prêmio aconteceu durante a participação da parlamentar no Seminário Internacional de Acessibilidade e Inclusão, promovido pelo Tribunal de Contas da União (TCU), em Brasília.

“Sinto-me honrada com a homenagem e reafirmo meu compromisso de continuar lutando por um Brasil inclusivo, mais justo e igualitário”, afirmou Rosinha.

O evento teve o intuito debater sobre as barreiras que comprometem o pleno exercício dos direitos das pessoas com deficiência. O prêmio foi dado a pessoas que conseguem quebrar essas barreiras, tornando o mundo mais inclusivo e acessível.

Palestras

No primeiro dia do evento, a deputada federal Rosinha da Adefal, fez uma palestra sobre “Políticas públicas para a pessoa com deficiência”. Ela falou sobre as diferenças sociais e como esse fator dificulta a inclusão social. Segundo dados da OMS, cerca de 80% das deficiências têm causas associadas à pobreza e às baixas condições de vida.

Para o procurador Sérgio Ricardo Costa Caribé, do Ministério Público de Contas junto ao TCU, que é o supervisor da Política de Acessibilidade do Tribunal, “acessibilidade é fundamental para o direito de ir e vir das pessoas com deficiência. Tudo isso é possível de ser feito nas nossas instalações”.

Jary Castro, gerente regional do Confea para o Centro-Oeste e autor do livro “Ir e vir – Acessibilidade: compromisso de cada um”, falou sobre o conceito de desenho universal, artefatos e produtos que visam à acessibilidade e inclusão da pessoa com deficiência. “A cidade inclusiva envolve inclusões sociais, econômicas, políticas e culturais. Não é um sonho impossível”, ponderou.

No segundo dia a Dra. Izabel Maria Madeira Loureiro Maior, professora de medicina da UFRJ, falou sobre as “Conquistas do Movimento Político das Pessoas com Deficiência”.

Esporte x Inclusão

Durante o Seminário o coordenador de Responsabilidade Social do Grupo Ser Educacional, Sérgio Murillo apresentou alguns projetos de sucesso de inclusão social do grupo. Entre eles, estava o “Bike sem Barreiras”, um programa da UNINASSAU - Centro Universitário Maurício de Nassau e do Instituto Ser Educacional em parceria com outros órgãos, que oferece à pessoas com mobilidade reduzida ou deficiências físicas a oportunidade de um passeio de bicicleta com equipamentos adaptados.

O programa consiste em uma cadeira de rodas acoplada a uma bicicleta, assim o participante pode ter a sensação de andar de bicicleta. A deputada Rosinha da Adefal ficou emocionada ao usar o aparelho. “Lembrei-me da época que minha mãe me levava de bicicleta para a escola em uma cadeirinha de madeira que meu fez e colocou atrás da bicicleta. Mesmo com as dificuldades do caminho e tombos, minha mãe nunca deixou de me levar, não perdia uma aula”, comentou a parlamentar.

Também foi disponibilizada a Handbike, uma bicicleta pedalada com as mãos, adequada a pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

Para a deputada Rosinha da Adefal, “acessibilidade é isso, permitir que as barreiras físicas sejam quebradas, para que possamos ter autonomia no nosso dia-a-dia, desde trabalho ao esporte e lazer”