Foto: Assessoria 8fdbdfc3 c412 467c 95f3 c6f55eefb953 Theatro Sete de Setembro, em Penedo

Foram mais de R$ 4 milhões em investimentos, recursos do Programa de Aceleração do Crescimento das Cidades Históricas e 21 meses em reforma, para só então, os amantes da música, arte, poesia e dança, ter de volta o Theatro Sete de Setembro, a primeira Casa de Espetáculos do estado. A reinauguração foi inserida na programação de aniversário dos 200 anos de Alagoas. 

Diversas autoridades estiveram presentes para prestigiar a reabertura. Inclusive, o ministro do Turismo Marx Beltrão, que reafirmou seu compromisso em continuar lutando pelo desenvolvimento turístico de toda a região Sul. 

“Uma cidade antes de tudo, para ser considerada boa, deve priorizar seus moradores, para depois, receber bem os turistas. Isso o prefeito Marcius Beltrão tem feito muito bem, a quem quero parabenizar por mais uma inauguração. Uma certeza você e todos os prefeitos da Região Sul podem ter, a que vou continuar lutando e priorizando o nosso estado. O Turismo é o segundo maior gerador de emprego do Brasil e pode se tornar o primeiro. Em nosso estado, conseguimos dobrar os recursos na área em 100%,  se comparados ao ano anterior, onde foram investidos apenas R$ 280 milhões. Tenham certeza que os investimentos não vão parar em 2018. E Penedo vai continuar crescendo na área do turismo”, garantiu o ministro. 

Este é o quinto projeto inaugurado, dos nove contemplados no Programa de Aceleração do Crescimento das Cidades Históricas. Só com o PAC, estão sendo investidos na cidade mais de R$ 20 milhões. Emocionado, o prefeito agradeceu a cooperação dos diversos parceiros. “Hoje é mais um momento de muita felicidade para todos os penedenses. Pra mim, mais um momento de muita alegria que compartilho com a cidade que me acolheu. Espero que essa noite fique marcada na memória dos penedenses. E claro, obrigado aos parceiros que lutam pelo desenvolvimento de Penedo. Sem vocês, todas essas realizações não seriam possíveis”, ressaltou. 

O projeto de restauração do Theatro Sete de Setembro foi elaborado pela Prefeitura de Penedo e executado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A obra contemplou pintura total, central de ar condicionado, estrutura de som, projeto luminotécnico, acessibilidade, recuperação de pisos, esquadrias, banheiros e novos camarins. Suas características arquitetônicas foram totalmente preservadas. 

Comenda da Grã-Cruz 

Durante a reinauguração do Theatro Sete de Setembro, o prefeito Marcius Beltrão e o governador Renan Filho, foram agraciados com a comenda da Grã-Cruz da Ordem Barão de Penedo. A homenagem é a maior horaria concedida pelo Município a uma personalidade, com relevantes serviços prestados ao povo e a cidade. 

“Marcius Beltrão é um prefeito de unir as pessoas. Penedo possui hoje um grande gestor. Meus parabéns pelo trabalho que você vem desempenhando, que resultou em torná-lo conhecido em todo o estado. Também quero agradecer a homenagem, que carrega o nome de uma grande penedense, o Barão de Penedo. Se a gente tiver ousadia , tudo é possível. Aqui podemos ver muito isso. Com apenas 30 dias, para elaborar os projetos para apresentar ao PAC, a equipe de Penedo e do Iphan Alagoas conseguiu sucesso e aprovou nove, dos 13 apresentados. Parabéns Penedo e podem contar sempre conosco”, concluiu o governador de Alagoas, Renan Filho.

A programação musical da noite festiva de reinauguração ficou sob a regência do Maestro Eduardo Lages, regente e arranjador do Rei Roberto Carlos. E como convidadas, as cantoras Joana e Rosemary. 

Luigi Guiseppe Lucarini (1842-1907)  

O arquiteto italiano possui vários projetos assinados em Alagoas. Na capital, o Teatro Deodoro, a primeira sede do Tribunal de Justiça e o Palácio Floriano Peixoto. Em Penedo, o Theatro Sete de Setembro e o Mercado Público. Datada de 1884, a primeira Casa de Espetáculos de Alagoas possui influência arquitetônica Neoclássica. Seu interior é em forma de ferradura. Na fachada imponente, a recepção fica por conta das Deusas da Música, Arte, Poesia e Dança. Respectivamente Euterpe, Calíope, Melpômene e Terpsícore.