Foto: Agência Brasil 57b26ccb 3290 4c0b aca6 a92a01b57066 Rodrigo Janot

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foi homenageado por procuradores e servidores do órgão nesta sexta-feira, em uma cerimônia na sede da instituição em Brasília em seu último útil no cargo após apresentar, na véspera, uma segunda denúncia contra o presidente Michel Temer ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Janot fez um balanço de quatro anos de gestão e agradeceu o empenho de todos.

"Juntos vivemos e escrevemos um capítulo muito especial na história do país e do Ministério Público. A esperança ainda triunfa nesta Casa. Valeu a pena para mim cada minuto de labuta e até de sofrimento", afirmou.

Leia também: Em seu último mês, Janot apresentou mais denúncias da Lava Jato que em todo o ano de 2017

O chefe do Ministério Público e integrantes da sua equipe foram aplaudidos de pé no ato por 400 pessoas que lotaram o auditório da Procuradoria-Geral da República.

Janot --que completa 61 anos nesta sexta-feira-- recebeu da tribo Xokó, de Sergipe, um arco e flecha em homenagem à famosa frase "enquanto tiver bambu, lá vai flecha", dita por ele quando se referiu, no início de julho, a novas acusações que poderia fazer antes de deixar o cargo.

O procurador-geral deixa o cargo no domingo. No dia seguinte, assume a nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, escolhida por Temer para o cargo.