B00b10d4 ccef 4f18 ace9 8cf42d103ef3

Sandra Barbosa Araújo, enfermeira, pós graduanda em Obstetrícia vem falar conosco acerca da sexualidade da mulher idosa.

     Segundo o IBGE, os idosos  - pessoas com mais de 60 anos - somam 23,5 milhões de brasileiros.

   Sandra afirma que uma das maiores conquistas culturais de um povo em seu processo de ascenção social é o envelhecimento saudável da sua população. 

      "As pessoas acham que a vida sexual da mulher idosa está acabada ou limitada por conta da idade e não é bem assim. Naturalmente, a mulher tem a tendência de acumular funções ao longo da sua vida. Com o envelhecimento e o nascimento dos netos, a mulher tende a ser engolida pelas obrigações, não enxergando mais as possibilidades de prazer", afirma a enfermeira.

       Questionada sobre as possíveis restrições, relata: "Não há nada que impeça da mulher idosa ter sua vida sexual ativa. O que é acontece é a não aceitação do corpo, das mudanças ao longo do tempo. Também pudera, a sociedade desde sempre nos ensina a odiar nossos corpos."

       "Após a menopausa ocorre uma redução da lubrificação vaginal e da circulação sanguínea para a região genital e isso pode ser corrigido apenas com a estimulação mais prolongada."

      Sandra finaliza afirmando que não há nada que impeça a plena satisfação sexual da mulher idosa e ressalta: "Contudo, não se pode descartar o uso do preservativo em todas as relações."

         Sandra também é estudiosa acerca das relações entre HIV e terceira idade.

          Dúvidas? Facebook: Sandra Barbosa