Foto: Ascom Seris 0494ef47 b7d9 48e4 a484 4f2e83d15f47

Após planejar, acompanhar e monitorar o estado de saúde da população carcerária durante dez dias, a Secretaria de Estado da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) informa que as visitas na Casa de Custódia da Capital e Presídio de Segurança Máxima serão retomadas neste final de semana.

Nos dias 9 e 10 deste mês, as visitas foram suspensas para que a Gerência de Saúde cumprisse todos os protocolos de profiláticos do Ministério da Saúde. A medida foi necessária após um reeducando ser diagnosticado com suspeita de meningite meningocócica.

O reeducando Medson Alexandre Borges, 22 anos, foi conduzido ao Hospital Estadual Dr. Hélvio Auto logo após o ocorrido. Ele foi diagnosticado pela equipe médica da unidade de saúde e continua hospitalizado. Seu estado de saúde é estável.

Todas as medidas necessárias para prevenção e promoção da saúde dos servidores e reeducandos que tiveram contato com o reeducando Medson foram tomadas, como explica a supervisora de Saúde, agente penitenciária Andréa Rocha.

“Observamos, acompanhamos e medicamos a população carcerária, eliminando riscos de contaminações secundárias e possíveis focos que poderiam deixar mais pessoas suscetíveis à contaminação”, afirmou a supervisora.

Andréa Rocha tranquiliza a todos, afirmando que o protocolo de atuação nessas situações foi tomado em tempo hábil. “Já está tudo sob controle; não ocorreram casos secundários e não surgiu mais nenhum reeducando com sintoma da meningite”, garantiu.

Meningite meningocócica

Trata-se de um tipo de meningite bacteriana curável. Mas, para isso, é necessário que o tratamento seja iniciado logo após o diagnóstico.