B9dacc77 b2a3 424f ba52 934bf9479797

          

       Na manhã de hoje (14), o vocalista do grupo Raça Negra esteve ao vivo no Programa Encontro com Fátima Bernardes.

       A discussão se dava em torno do combate ao abuso sexual infantil.

       Num momento mais que oportuno para ficar calado, o cantor culpabilizou a vítima: "Hoje você vê uma menina de 12 anos, ela quer se portar como uma mulher. Mas ela é uma criança. A gente tem que prestar atenção também nessas coisas. 'Minha filha, você vai pra escola assim?', 'Na escola esse batom vai significar o que pra você?".

       Sendo interrompido pela apresentadora e rebatido por outros convidados que afirmaram que a culpa estaria no homem e jamais na criança ou pela forma como ela se veste, Luiz Carlos prosseguiu: "Tô dizendo da menina por que, de uma forma chula de falar, ela é mais caçada. O menino é sempre escondido. Quando a gente perceber a atitude do cara, a gente tem que dar uma surra no cara".

        Declarações como estas fomentam duas perigosas idéias: A primeira é que a culpa é da vítima (mesmo ela sendo criança) e a de que devemos fazer justiça com as próprias mãos.

        Toda mulher é livre para ser quem e o que ela quiser.  Abuso sexual infantil não tem justificativa. Nunca!