F2ebdd90 f96b 40d7 8c35 4597595aee03 Rui Palmeira e Renan filho

Li, no dia de hoje, mais uma pesquisa de intenções de voto em Alagoas. Dessa vez, publicada aqui no CadaMinuto pelo jornalista Volney Malta, em seu blog. Concordo com ele em um ponto: é impressionante o número de indecisos ou de pessoas que decidem não opinar. Essas podem resultar em um fator surpresa no processo eleitoral, sendo uma parcela silenciosa que definirá os rumos e pode surpreender institutos de pesquisas. 

De qualquer forma, ainda é cedo e uma pesquisa só mostra mesmo o retrato do momento. Afinal, até o ano de 2018 muita água passa por baixo da ponte. 

A pesquisa divulgada por Volney Malta foi realizada pelo Instituto Falpe, entre os dias 1,2,3 e 4 de setembro. Foram ouvidas - segundo o instituto - 1.534 pessoas na região o Baixo São Francisco e Litoral Sul de Alagoas. 

Aqui repercuto os números da disputa para governador e senador federal. 

No caso da disputa pelo Executivo estadual em 2018, a pesquisa confirma algo que é perceptível desde outras amostras feitas por regiões do Estado de Alagoas. Quanto mais próximo da capital, menor é a vantagem que o atual governador Renan Filho (PMDB) possui sobre o prefeito de Maceió Rui Palmeira (PSDB). Lembrando que Renan Filho é candidato à reeleição de forma assumida. Já Rui Palmeira ainda é uma incógnita. 

Renan Filho - segundo as pesquisas de opinião - tem um governo bem avaliado. Porém, lida com um possível adversário que pelos números não pode ser desprezado. Rui Palmeira aparece com 19,5% das intenções de voto. O governador lidera com 34,5%. Depois surge o deputado federal João Henrique Caldas (PSB) com 4% e Mário Agra (Rede) com 1%. Os resultados voltam a mostrar uma polarização entre PMDB e PSDB em Alagoas. 

Se Rui Palmeira for candidato, a lógica é que comece a aparecer mais nessas regiões nos próximos meses, podendo vir a crescer nas pesquisas. O fato da distância entre Renan Filho e Rui Palmeira diminuir conforme a região se aproxima da capital alagoana faz com que os políticos mais ligados a Palmeira apostem nele como a melhor opção da oposição. Eles argumentam que o prefeito tucano não se encontra em campanha, mas seu nome já é bem lembrado fora de Maceió. 

No entanto, do lado do Palácio República dos Palmares as vantagens conquistadas por Renan Filho também são comemoradas. O governador acredita - segundo os mais próximos - que com as ações programadas para a reta final de sua gestão, a boa avaliação não só seja mantida como aumente, apesar dos gargalos que enfrenta, como no caso da Saúde, onde o governo do Estado foi abalado por um recente escândalo. Além disso, a gestão de Renan Filho é bastante presente na capital, por meio de programas estratégicos, como os que envolvem as grotas.

Sem os nomes de JHC e Mário Agra, Renan Filho fica com 36%. Rui Palmeira acumula 23,5%. 

Em relação ao Senado Federal, como era de esperar em função da região ser o seu principal reduto eleitoral, o ministro do Turismo, Marx Beltrão (PMDB) lidera com 30,5%. Na segunda colocação estão empatados dentro da margem de erro o senador Benedito de Lira  (PP) com 17%, o ex-governador Teotonio Vilela Filho (PSDB) com 17% e o senador Renan Calheiros  (PMDB) com 15,5%. Heloísa Helena (Rede) aparece com 10,5%, Rafael Tenório (Podemos) tem 3% e João Caldas surge com 2%. 

Em outro cenário, Marx Beltrão aparece com 35,5%, Vilela fica com 19,5%, Benedito de Lira com 19% e Renan Calheiros com 17%. Neste caso são retirados os nomes de Heloísa Helena - que pode disputar uma das cadeiras da Câmara de Deputados - Rafael Tenório e João Caldas. 

Aqui a pesquisa também confirma algo que é perceptível nessas coletas de dados por região, o senador Renan Calheiros - que tem uma densidade eleitoral expressiva e é sim um fortíssimo candidato - terá uma das eleições mais difíceis de sua história caso prevaleçam esses nomes como “rivais políticos”. Mais que isso, o maior desafio para Calheiros pode estar dentro do próprio PMDB: o ministro do Turismo, Marx Beltrão. 

Estou no twitter: @lulavilar