3758d601 8d78 4e39 83a7 5518dd51a144 Prefeito de Palmeira, Júlio Cezar comandou o evento, que contou com 80% dos convidados

Prefeitos se reuniram na manhã desta terça-feira em Palmeira dos Índios, a fim de acelerar os trabalhos visando acabar com os lixões em seus devidos municípios até dezembro próximo, já que o prazo estabelecido por lei federal está esgotado. O encontro foi com representantes do IMA e Conagreste, o Consórcio que agrega hoje 20 municípios do Agreste atuando num terreno no município de Craíbas no tratamento de resíduos sólidos. Segundo o superintendente do Conagreste, Ives Leão, o órgão ainda tem capacidade para receber 10 municípios, justamente os que ainda não acabaram com seus lixões em diversas regiões próximas.

“O nosso Conagreste, ainda vem enfrentando entraves burocráticos, mas tenho certeza que a partir do ano que vem, já estaremos aptos a receber recursos federais, visando na melhora dos serviços, para assim reduzir custos aos municípios. Isso porque estamos estruturando todo um trabalho, sobretudo cumprindo as exigências adotadas pelas políticas de resíduos sólidos” comentou o presidente do Consórcio, Adiel Leite, prefeito de Craíbas.  Disse que o Conagreste começou no final de 2013 e entrou em operação em 2014; e que no ano passado recebera notificação do IMA, justamente para mandar fechar os lixões dos municípios já associados; e ao mesmo tempo recuperar os terrenos onde funcionavam os referidos lixões.   

Na verdade, o grande empenho que vem sendo feito por parte dos prefeitos envolvidos nesse projeto (regiões do agreste, Vale do Paraíba e Sertão) é quanto à implantação de três  áreas de Transbordos, que são terrenos  aptos a receber transferência de resíduos sem degradação. O produto posteriormente será conduzido para o Conagreste. Ficou acertado que Palmeira, Girau e Taquarana, vão disponibilizar a escolha de três terrenos cada um, para daí uma unidade funcionar em cada um desses municípios. Os prefeitos também ficaram de agendar uma viagem a Brasília, para cobrar da bancada alagoana, vários itens destinados para o consórcio; a exemplo de caminhões compactadores, caçambas entre outros.   

 

Segundo o prefeito de Cacimbinhas e também presidente da AMA, Hugo Wanderley, sua cidade acabou com o lixão em março deste ano. Disse que criou uma lei, a fim de coibir os moradores que colocam o lixo nas calçadas nos dias em que o carro não passar na porta. “Nós dispomos de um caminhão compactador e uma caçamba que fazem a coleta do lixo para o Sigres, que é o aterro sanitário público instalado em Olho d’Água das Flores, órgão que atende a vários municípios do Sertão    ”, argumentou Wanderley afirmando que o compactador é alugado por cerca de 10 mil reais por mês.