Cortesia assessoria De737d24 b8a6 4042 a006 a5bf220d023c Uncisal

Após pronunciamento feito pelo deputado Bruno Toledo (PROS), na sessão ordinária da Assembleia Legislativa – ALE, da quarta-feira, 23, onde fez declarações sobre o envolvimento integrantes da Comissão Eleitoral da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal) na operação Correlatos, a comissão emitiu na tarde desta quinta-feira, dia 24, uma nota de repúdio.

Segundo Comissão Eleitoral o deputado afirmou que alguns dos integrantes da Comissão Eleitoral têm interesse direto no processo e até foram citados na operação Correlatos, deflagrada no começo do mês pela Polícia Federal e Controladoria Geral da União (CGU) para apurar um suposto esquema milionário de fraudes em licitação na Secretaria da Saúde de Alagoas (Sesau) “foi uma tentativa irresponsável de descredibilizar a Comissão e conturbar o processo eleitoral na Uncisal”.

Na nota a comissão ressalta que foi democraticamente formada por membros indicados pelos diversos setores da universidade e posteriormente aprovada pelo CONSU e destaca que a presença do representante do Ministério Público do Estado foi solicitada pelos integrantes da mesma e pela Presidente do Consu, Rozangela Wyszomirska para assim garantir a lisura e a moralidade do processo eleitoral.

Para garantir que o processo corra na transparência, a comissão pontuou que  solicitou também a presença dos Órgãos de Controle do Estado como Ministério Público, OAB e Comando da Policia Militar  para se fazerem presentes no dia 30 data prevista para o Pleito Eleitoral.

Diante das acusações feitas pelo deputado, os integrantes da comissão reforçaram que “as declarações do deputado Bruno Toledo contra integrantes desta comissão precisam ser devidamente comprovadas perante a justiça, sob pena do mesmo responder judicialmente por calunia, difamação e crime contra honra de funcionário público no exercício da função”.