Foto: Agência Alagoas 81263e5b 026f 4568 aecb cae77228bca8

O Ministério da Educação (MEC) anunciou nesta terça-feira, 8, a liberação de R$ 12,9 milhões para obras de reconstrução e recuperação de escolas e creches de municípios alagoanos que foram atingidos pelas fortes chuvas registradas há alguns meses no estado. Sete novas escolas serão construídas e 40 reformadas o  que irá beneficiar 15 mil estudantes.

As obras serão realizadas em seis cidades: Maceió, Barra de Santo Antônio, Jacuípe, Marechal Deodoro, Pilar e São Luís do Quintunde. Os recursos serão administrados pelos próprios municípios.

Além das reformas nas estruturas já existentes afetadas pelas chuvas, novas escolas e creches serão construídas para substituir aquelas que estão com as estruturas condenadas ou localizadas em áreas de risco.

O ministro da Educação, Mendonça Filho, garantiu que o governo vai liberar recursos para mais municípios que atenderem aos requisitos técnicos. “Não estamos encerrando aqui o apoio a outros prefeitos que tenham demandas relativas ao que foi afetado em termos de destruição na área educacional pelas chuvas. Apenas, as que atenderam aos requisitos técnicos estão sendo atendidas. As que ainda estão por atender, cumprindo suas responsabilidades terão atendimento por parte do Ministério da Educação”, disse.

Infraestrutura

O ministro transportes, Maurício Quintella, disse que na próxima semana o governo anunciará a liberação de recursos para reconstrução de infraestrutura no estado. Segundo Quintella, só para Maceió serão liberados cerca de R$ 25 milhões.

Quintella lembrou que no Brasil, mesmo em situação de emergência, a liberação dos recursos é demorada. “Essa é uma questão que o Congresso Nacional precisa enfrentar, que é a celeridade na liberação de recursos, principalmente para obras emergenciais”.

Em todo o estado, 27 municípios foram atingidos e tiveram situação de emergência decretada. Os demais 21 municípios que estiverem nessa condição poderão ser contemplados à medida que suas demandas forem analisadas e validadas pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).