Foto: Alagoas24horas 447e79ad d624 4177 91e9 bc1354d6b898

Em dezenove anos e sete meses [1997 a 2017/julho] foram assassinadas em Alagoas 30.317 pessoas de todas as faixas etárias e sexos e 13.560, em Maceió.

Os números de homicídios no Brasil são de um país em guerra, mesmo que não declarada. Esta pode ser uma das conclusões possíveis de se chegar.

Cerca de 170 mil pessoas foram mortas nos 12 maiores conflitos no mundo entre 2004 e 2007. No Brasil, mais de 200 mil perderam a vida entre 2008 e 2011, segundo levantamento do Mapa da Violência de 2013.

Em Alagoas de 2001 a 2011 foram assassinados 16.680 pessoas, uma taxa de 171,3%. Maceió “contribuiu” com 8.457 homicídios, o equivalente a 50,7% dos homicídios no período.

As estatísticas mostram números frios, mas é possível dimensioná-los da seguinte maneira: Alagoas tem 102 municípios e 48 deles tem população inferior a 16.680 habitantes, o exato número de homicídios ocorridos na década de 2001 e 2011.

A dimensão da tragédia não faz parte da agenda das autoridades, o homicídio foi incorporado ao cotidiano e principalmente por serem pobres os assassinados, cidadãos sem voz, sem representatividade econômica, social e política,  lhe são destinados à vala comum e o silêncio obsequioso das autoridades e/ou a concordância como ação governamental.

Essa tragédia não tem fim.

 

 (*) Fontes: Mapas da Violência e Estatísticas da SSP-AL