Assessoria/Arquivo A886de73 81bb 44c7 b688 380406bfea14 Maternidade Santa Mônica

Por meio de nota encaminhada à imprensa na tarde desta sexta-feira, a diretoria da Maternidade Escola Santa Mônica (MESM) informou que, em decorrência do fechamento da maternidade do Hospital Universitário, passou a ser a única unidade de referência para atendimento de gestantes e neonatos de alto risco em Alagoas.

A diretoria informou ainda que, no momento, todos os seus 46 leitos estão ocupados e com excedente de seis pacientes, acomodadas em camas, macas e nos corredores.

“Já estamos com 52 pacientes. Se recebermos mais, atenderemos onde houver lugar para acomodar, no centro cirúrgico, em cadeiras, corredores... Infelizmente não fomos informados oficialmente, pelo HU, do fechamento da maternidade. Já foi o coordenador do Cora (Complexo Regulador de Atendimento) que nos informou”, disse Daniella Bulhões, diretora médica da MESM.

A diretora destacou que, como não houve notificação oficial, não sabe informar o motivo do fechamento, nem se há previsão de retorno do atendimento.

Conforme Daniella, a direção da MESM já estabeleceu contato com a Universidade Estadual de Ciências da Saúde (Uncisal), Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Coordenação da Rede Cegonha de Maceió e está tentando contato com Ministério Público do Estado (MP/AL) em busca de uma solução para o problema.

Ela destacou que a Santa Mônica não deixará de atender os pacientes, mas infelizmente isso será feito dentro das limitações impostas pela situação.

Ainda na nota encaminhada à imprensa, a direção informou que “conta com uma equipe referenciada para atendimento de alto risco e lamenta possíveis transtornos que possam surgir em virtude da suspensão do serviço de referência do Hospital Universitário”.

Problemas na estrutura

Em contato com a assessoria de Comunicação da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), a reportagem foi informada que a maternidade, localizada no sexto andar, foi interditada devido a queda de um forro do teto e outros problemas na estrutura, como umidade e fissuras.

As pacientes foram transferidas para outros andares do prédio. Os serviços de reforma no andar interditado começam na segunda-feira, 24, mas ainda não há previsão para conclusão das obras. 

A assessoria informou também que enquanto durar a reforma, o HU não fará novas internações de gestantes.

Confira abaixo a nota do HU na íntegra

"As chuvas frequentes que caem sobre toda Alagoas ocasionaram o surgimento de fissuras e bastante umidade no forro de gesso do 6º andar do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA), local onde fica situada a maternidade do HU.

Como medida de segurança, o espaço foi interditado e as pacientes internadas foram realojadas em outros espaços do hospital. Novos internamentos também estão suspensos. As medidas tomadas já foram comunicadas ao Complexo Regulador de Maceió (Cora).

Nesta segunda-feira (24), o Setor de Infraestrutura Física do HU já inicia os serviços na área para que o atendimento retorne o mais breve possível".