Foto: Divulgação C1e53b2d 5687 4c03 8deb 227469500968 Campus da Universidade Federal de Alagoas

A Universidade Federal de Alagoas (Ufal) enfrenta uma grave crise decorrente do corte no orçamento. Em nota técnica divulgada nesta terça-feira (04) a instituição calcula que o orçamento está 29% menor que o de 2016, o que pode inviabilizar novos investimentos.

A nota, assinada pelo Pró-reitor de Gestão Institucional, Flávio José Domingos, detalha a situação do orçamento financeiro da instituição para o exercício de 2017. O orçamento aprovado para o atual exercício foi de R$ 758.340.537 milhões, para despesa de pessoal, custeio e investimento. Porém em abril a Ufal emitiu uma nota técnica apontando a redução de 17%do orçamento de custeio e investimento em relação a 2016.

Até abril, valores aprovados por lei vinham sendo contingenciados através de espaçadas liberações de cotas orçamentárias de 1/18 ou 1/12 avos do orçamento por mês. A situação acabou se agravando em maio, segundo a Ufal, quando a Secretaria de Orçamento Federal do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão bloqueou o orçamento. Na nota, a Ufal diz que não houve a possibilidade de indicar fontes ou naturezas de despesas na qual o bloqueio seria menos prejudicial, refletindo num montante de R$ 14.943.307 bloqueados.

A Ufal diz na nota que prioriza o funcionamento da instituição, o pagamento de bolsas estudantis, execução de obras em curso, pagamento de contratos, inclusive com terceirizados, manutenção predial, além de investir em políticas e campanhas que evitem o desperdício.

Diante do cenário crítico, a instituição afirma que a possibilidade de novos investimentos torna-se escassa, “já que, o orçamento se mostra, a partir de agora, 29% menor do que em 2016 e 13% menor do que foi aprovado em 2017”.