Assessoria 15a589cd 92b5 4238 b20c 893b666e0107 A festa segue neste sábado, 13, com o Trio Amantes do Forró e com o show do miguelense Lucas Lima

O pesquisador alagoano, José Lessa Gama falou sobre O Forró nos 200 anos de Alagoas, a palestra lotou o auditório do Museu da Imagem de Alagoas (MISA), no dia 27/06. No Hall do MISA, com a curadoria de José Lessa foi organizada uma Exposição contando a história do forró em Alagoas.

O trabalho desenvolvido nas últimas décadas por José Lessa é de grande relevância para a história da música alagoana e é um trabalho de garimpagem no resgate de personagens fundamentais da música alagoana e que também foram ícones no cenário nacional.

        O trabalho como pesquisador autodidata é focado no forró e coco, baião, ritmos  que definiram a identidade dos alagoanos e nordestinos ao longo do século XX.

        Lessa tem uma característica singular, é um agregador, tem trabalhando para unir os músicos, compositores no sentido de que possam ocupar um espaço maior na cena artística alagoana e nordestina.

        O Painel detalhado realizado pelos pesquisador traçou a trajetória de músicos como Gerson Filho e Cremilda de quem o pesquisador é admirador indisfarçável na história da música alagoana no século XX.

        Gerson Filho, “é o primeiro a compor e gravar música especialmente para quadrilha no Brasil”, revela Lessa. A persistência no trabalho de pesquisa de campo, estabelecendo contatos com os músicos trouxe revelações como a que Clemilda, cantora alagoana de São José da Lage, e companheira de Gerson Filho, inseriu ritmos como o coco alagoano, o reisado e o guerreiro, representações do rico folclore de Alagoas ao forró, dando uma nova dimensão ao forró e estabelecendo como uma das suas marcas na longa carreira musical de Cremilda e Gerson Filho.

Viva São João e São Pedro 

Viva a música

Viva o forró

Vida longa para o pesquisador José Lessa Gama.