Af287c12 57e9 4166 96a1 483db36ca339

Foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta segunda-feira, dia 15, o o resultado provisório da seleção para contratação temporária de professores para escolas indígenas.

Conforme informações da assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e de acordo com o superintendente de valorização de pessoas da Seduc, Carlos Palmeira, os candidatos têm até esta terça-feira (16) para apresentar, nas respectivas Gerências Regionais de Educação (Geres), a documentação comprobatória solicitada em edital, ou o recurso, no caso de divergências no resultado.

 São ofertados cargos de auxiliar de sala e professores dos anos iniciais, Ciências, Química, Matemática, Biologia, língua Portuguesa e Inglesa, Geografia, Educação Física, Filosofia, Ensino Religioso, História e Arte, para unidades indígenas de todo o estado, nas seguintes Geres: 3ª (Palmeira dos Índios); 9ª (Penedo; 11ª (Piranhas) e 12ª (Rio Largo).

 Indígenas comemoram a realização do concurso e falam das expectativas sobre o resultado da seleção. “O Processo Seletivo dos professores indígenas foi uma luta das lideranças para que fosse oficializado, e para que os nossos professores fossem às salas de aulas com o respaldo. Pedimos para que ele fosse específico porque temos nossas particularidades, e necessitamos repassar a nossa cultura em sala de aula. Repassando a importância do artesanato, para que eles apreciem os próprios recursos”, declara Purinã Celestino, da aldeia Xucurus-Kariris, de Palmeira dos Índios.

O coordenador pedagógico da Escola Estadual Indígena José Máximo de Oliveira, e um dos líderes da tribo Wassu-Cocal, corrobora com o pensamento de Purinã Celestino.

 “A expectativa é grande para o resultado da seletiva, pois a gente entende que ela vai dar uma estabilizada no contrato dos monitores, pois havia esta preocupação. A seletiva vai atender em média de uns 500 alunos”, explica Igor Hebert Freitas.

*Com assessoria