Foto: Vanessa Alencar/CadaMinuto/Arquivo Bf964f8b f75b 4a1b 9416 08a3271059f9 Celso Luiz

(Atualizada às 10h33)

A Polícia Federal prendeu o ex-prefeito de Canapi, Celso Luiz Tenório Brandão, dois ex-secretários e o ex vice-prefeito do município, nesta sexta-feira (12). Todos eles são acusados de integrar um esquema criminoso que desviou quase R$ 17 milhões do antigo FUNDEF (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério) e e de outros programas do governo federal na área de educação. A segunda fase da operação "Triângulo das Bermudas" denominada "Operação Deusa da Espada", cumpriu três mandados de prisão preventivas.

Além da prisão de Celso Luiz, foram presos pelas equipes da PF, Jorge Valença e Carlos Alberto, ex-secretários, e do ex-vice-prefeito Genaldo Vieira que também participaram dos desvios, consoante apurado no inquérito policial instaurado pela PF em maio de 2016. Um quarto Mandado de Prisão não foi cumprido até o momento, uma vez que o investigado não foi encontrado até o momento, estando em local incerto e não sabido.

Segundo informações da assessoria de comunicação da Polícia Federal, além dos desvios que foram apurados na primeira fase da operação policial, constatou-se a continuidade das ações criminosas a cargo do grupo, a partir da liberação de valores remanescentes do fundo nos últimos dias da gestão do ex-prefeito do citado município, o qual assumira a gestão da cidade após afastamento do seu antecessor, determinado judicialmente.

Apurou-se, ainda, que a ORCRIM vinha intimidando e cooptando testemunhas, com o propósito de dificultar as investigações empreendidas pela Polícia Federal.

Foi utilizado um efetivo de 20 policiais federais da Superintendência Regional da PF de Alagoas para execução das medidas judiciais, determinadas pela Exma. Juíza Camila Monteiro Pullin Milan, Titular da 11a. Vara da JFAL, subseção judiciária de Santana do Ipanema/AL.

Os presos serão conduzidos à Superintendência Regional de Polícia Federal em Alagoas e maiores detalhes serão passados durante uma coletiva à imprensa realizada às 11h00.

O caso

Celso Luiz é acusado de chefia um esquema de desvio de recursos que envolve ainda as cidades de Mata Grande e Inhapi. A operação foi denominada de Triângulo das Bermudas que faz uma alusão aos municípios de Canapi, Inhapi e Mata Grande, que formam um triângulo no mapa do Estado e sofrem influência do grupo político investigado. Os mandados foram cumpridos em julho do ano passado.

O Triângulo das Bermudas original é uma área no globo terrestre, situada nas imediações de Miami, Porto Rico e Bermudas, em que frequentemente ocorrem desaparecimentos repentinos de navios e aeronaves.

Segundo apurado, dos mais de R$ 18 milhões pagos pela União ao Município no ano passado, a quantia aproximada de dez milhões foi inexplicavelmente transferida de contas bancárias da Prefeitura para contas de pessoas e empresas ligadas a gestores municipais.

De acordo com o Ministério Público, existem indícios de fraude em licitações e aquisição ilegal de fraldas descartáveis compradas com verba do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Leia mais: Ex-Prefeito de Canapi é alvo de operação da Polícia Federal contra desvio de recursos

Defesa de Celso Luiz nega desvio e diz que informações da PF são inverídicas