Foto: Agência Alagoas 62023e7b 0ef9 4c71 82c6 ed1ff192f3e8 Escola Estadual Rocha Cavalcanti faz 89 anos

Reconhecida como patrimônio histórico e cultural de Alagoas desde 2014, a Escola Estadual Rocha Cavalcanti, primeira unidade escolar a ser construída no centro urbano da cidade de União dos Palmares, comemora seus 89 anos nesta sexta-feira (28).

As celebrações tiveram início na quinta-feira (27) e prosseguem até a próxima semana. “Tivemos, dentre outras atividades, um concurso de beleza estudantil, além da escolha das melhores vozes e grupos de dança. A festa prossegue até terça-feira, dia 2, com bolos festivos nos três turnos de aula, para toda a comunidade escolar”, informa a diretora adjunta, Karina Oliveira.

Histórico

Idealizada e construída no final da década de 1920, pelo vice-governador e patrono da escola, coronel Francisco da Rocha Cavalcanti, a escola possui uma estrutura arquitetônica no estilo neoclássico, dispondo de cinco salas de aula, laboratório de informática, biblioteca, cozinha e cantina, sala professores e coordenação. É o segundo prédio tombado da cidade: o primeiro foi a casa do poeta Jorge de Lima.

Situada à Rua Correia de Oliveira, uma das mais importantes do ponto de vista histórico da cidade de União dos Palmares, a escola fez história como um centro de formação de professores na região. Atualmente, ela oferta Ensino Normal, Ensino Médio e Médio Integrado, com cursos de Ludoteca e Secretariado Escolar para quase 700 estudantes.

Orgulho

A Rocha Cavalcanti é motivo de orgulho para toda a comunidade palmarina. Alunos e professores destacam sua importância. Muitos educadores da cidade também passaram pela escola, seja como alunos ou professores. É o caso da gerente da 7ª Gerência Regional de Educação (Gere), Roseane Vasconcelos. “Fui aluna do 1º ao 4º ano, o que hoje representa os anos iniciais do ensino fundamental. Até hoje, a escola é muita procurada pela sociedade palmarina por ser uma referência no seu atendimento educacional”, destaca.

Diretora da instituição de 2003 a 2006, a técnica do Núcleo de Acompanhamento Pedagógico (NEAP) da 7ª Gere, Sueleide Barbosa, diz que a escola marcou a sua vida profissional e pessoal. “Sou pedagoga e atuo há 30 anos na Educação. O período em que estive na Rocha Cavalcanti me proporcionou um crescimento imensurável como educadora, foi um aprendizado para toda a vida”, afirma.

O ex-gestor e professor de biologia, George Sena, um dos principais nomes no processo de tombamento da unidade, também fala com carinho da instituição.

“Nossa escola representa um importante elo na região serrana dos quilombos, recebendo alunos de União dos Palmares e de municípios circunvizinhos, que reconhecem seu papel relevante na formação profissional. E do ponto de vista de afetividade, é um prazer trabalhar neste prédio”, declara George.

Em seu último ano na escola, a estudante da 3ª série do ensino médio Larissa Andriele aponta o diferencial da instituição. “Esta escola é simbólica e todos que estudam aqui saem com boas referências, com ótimo aprendizado”, diz a garota.