Acb25584 163e 4358 8941 c05ccf8b705f

Em recente entrevista para revista Época (1), o comemorado prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB) recebeu a seguinte pergunta: O senhor é a favor ou contra a liberação de posse de armas? A resposta, curta e grossa foi “sou contra”. Que me desculpem os fãs do político, mas não há nessa resposta qualquer espaço para interpretações positivas. Dória é favorável ao desarmamento e ponto final. Tempos atrás ele já havia dado indícios dessa posição em entrevista para Luciana Gimenez (2), onde condena até as armas de brinquedo.

O fato dele ter conseguido ou aceitado a doação de centenas de pistolas para a guarda municipal de São Paulo não o torna um pró-armas. Só mostra que ele reconhece a necessidade das armas para segurança, porém defende que essas armas estejam apenas nas mãos do Estado e, claro, de seus seguranças. Minha esposa, Karen, fez uma excelente análise: João Doria é um gestor que sempre teve os meios necessários para prover segurança para ele e sua família, e pode “se dar ao luxo” de não precisar ser um operador, um executor da própria segurança. Uma realidade anos-luz do pai que tem que esperar a filha em um ponto de ônibus às 11 horas da noite, em um bairro de periferia, ou um pequeno sitiante que conta apenas com suas orações para proteger o seu patrimônio e a vida de seus entes estando centenas de quilômetros da viatura policial mais próxima.

 

Deixando claro e inequívoco a minha posição, questão do desarmamento é conditio sine qua non e se assim não fosse eu trairia 20 anos de trabalho e luta. O Doria é favorável ao desarmamento, portanto, para mim, é carta fora do baralho. Minha posição é essa e ponto final. Radicalismo? Conforme acusação de alguns – poucos! – liberais e libertários defensores do prefeito? De forma nenhuma! Apenas uma questão de coerência diante de uma vida inteira dedicada ao tema. Fico imaginando o que aconteceria se ele, por exemplo, tivesse dito que é contra as privatizações.

 

Longe de mim não reconhecer a boa gestão feita até agora, mas isso não basta e muito menos o exime de críticas. Também não nego que outras posições declaradas na entrevista me agradaram e sobre isso Rodrigo Constantino escreveu uma excelente análise (3). O que alguns não entendem é a enorme simbologia por trás do desarmamento, e tudo que está envolvido nesse complexo processo. Garantir o acesso às ferramentas de defesa - armas de fogo! - é garantir, em última e derradeira instância, a defesa de todas as outras liberdades individuais! O inverso, por consequência, é aceitar que todos os seus direitos, a sua vida, o seu patrimônio, a sua liberdade terá como guardião o próprio Estado. A história mostra o terrível erro. O pesadelo em que isso pode se transformar em um curto espaço de tempo. Vejam o exemplo da Venezuela (4)!

 

Afirmam alguns que João Trabalhador é bem afeito ao diálogo e não hesitaria em mudar de opinião. Acreditando, torço para que isso seja verdade. Enviei ao prefeito o convite para que ele compareça ao Museu da Imagem e do Som de São Paulo no próximo dia 9 de maio para assistir o documentário Desarmados (5) e que participe, após o mesmo, da mesa de discussão que será composta por mim, pelo Coronel Paes de Lira e pelo produtor do filme, Lion Andressa. Sei que pessoas próximas ao prefeito lerão esse texto e a estes peço que levem este honesto convite e os votos de diálogo sério e embasado sobre o tema.

 

1)            Entrevista revista época: http://epoca.globo.com/politica/noticia/2017/04/o-que-pensa-joao-doria.html

 

2)            Doria: armas de brinquedo e o medo de brincar - http://www.cadaminuto.com.br/noticia/301973/2017/04/07/joao-doria-as-armas-de-brinquedo-e-o-medo-de-brincar

 

 

3)            Análise de Rodrigo Constantino: http://www.gazetadopovo.com.br/rodrigo-constantino/artigos/o-que-penso-que-pensa-joao-doria/

 

4)            A Venezuela, o desarmamento e o monopólio da força nas mãosdo Estado: http://www.cadaminuto.com.br/noticia/302550/2017/04/20/o-ditador-venezuelano-armara-um-milhao-de-milicianos-pro-governo

 

5)            Lançamento do documentário Desarmados: https://www.facebook.com/desarmadosofilme/