Postado em 21/04/2017 às 12:22 por em Geraldo de Majella 0

Alagoas e a previdência I





O Brasil está em polvorosa com as delações premiadas ou colaborações premiadas – eufemismo à brasileira –, que fazem políticos, empresários e funcionários públicos perderem o sono. Como se isso não bastasse, o presidente Temer, ele próprio envolvido até a alma nos negócios sujos dos empreiteiros, diz querer passar à história como um presidente reformador.

         Enviou à Câmara Federal dois projetos de lei que estão mexendo com todos os brasileiros, o que reforma a Previdência e o da CLT. A base do governo começa a sentir a pressão da população e emite sinais de que não vai aprovar o que veio do Executivo. Mudanças pontuais têm sido feitas, mas ainda é pouco diante da tragédia anunciada: o corte de direitos em nome da austeridade fiscal.

         E os estados e municípios, como vão ficar? É uma pergunta a ser feita. Alagoas tem uma Previdência insolvente, e não é de hoje, faz tempo. A bem da verdade, nunca houve um Instituto de Previdência dos funcionários públicos. O Ipaseal desde sempre foi uma grande caixa de recursos à disposição dos governadores. Quebrou no momento em que Alagoas também quebrou: em 1997.

         Agora chegou a hora para discutir o presente e o futuro de milhares de funcionários públicos. Milhares já estão aposentados, ou morreram e ficaram as pensionistas. E há milhares de funcionários exercendo as suas atividades. Qual será o futuro de todos eles?

         Haverá recursos para honrar as aposentadorias? Esta e outras respostas, os funcionários públicos desejam saber com exatidão. É chegada a hora de o governo abrir a caixa-preta da Previdência estadual.

         E Maceió e os demais municípios? Que futuro os funcionários públicos dos municípios terão? Com a palavra os governantes e os sindicalistas representantes dos trabalhadores.

 


Deixe seu comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.