cortesia assessoria 131d07bc b567 4c6f a226 0468635a580d

Com o intuito de promover uma reação dos parlamentares alagoanos que regressavam de Brasília, na tarde desta quinta-feira, dia 20, integrantes do Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (Sinteal) realizaram um ato público no aeroporto Zumbi dos Palmares. A mobilização aconteceu por conta das reformas previdenciária e trabalhista propostas pelo governo de Michel Temer.

Segundo a assessoria do Sindicato, no ato foram proferidas palavras de ordem como “Se você não lutar, não vai se aposentar”, os trabalhadores receberam o apoio dos passageiros que passavam pelo portão de desembarque, alguns gritando também o já tradicional grito nacional dos protestos de rua: “Fora Temer!”.

Passaram pelo desembarque, ouvindo o protesto e as palavras-de-ordem dos trabalhadores em educação, os deputados federais Ronaldo Lessa (PDT) e Paulão (PT), que demonstraram apoio à reivindicação de votar contra as reformas e o também deputado Nivaldo Albuquerque Neto (PRP), que disse que iria votar “pela minha consciência”, saindo rapidamente do local da manifestação.

Os senadores Fernando Collor (PTC) e Renan Calheiros (PMDB) e os deputados federais Arthur Lira, Rosinha da Adefal e o ministro Maurício Quintella (Transportes),  preferiram saíram por outro local longe dos manifestantes.

 “Estamos aqui, mais uma vez, no aeroporto para realizar um protesto público contra as reformas de Michel Temer e para tentar um contato com deputados e senadores de Alagoas, cobrando um posicionamento quanto ao voto de cada um deles em relação a essas reformas. Enquanto representantes eleitos pelo voto popular, os parlamentares não podem votar e trair a população e os trabalhadores atingidos por essas reformas. E eles que fiquem atentos porque, em 2018, as urnas vão dar a resposta a quem ficar contra a população brasileira”, disse a presidente do Sinteal, Consuelo Correia.

*Com Assessoria