Crédito: Assessoria 0ad84b48 8d77 476a b99e 35a939273b75 Escola Rubens Canuto

Uma iniciativa do Fundo para Equidade Racial Baobá, Instituto Unibanco e Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) escolheu o projeto da Escola Estadual Deputado Rubens Canuto e do Instituto do Negro de Alagoas como único entre os dez escolhidos para a execução do programa de Gestão Escolar para Equidade – Juventude Negra.

O programa é voltado para projetos e práticas que busquem elevar os resultados educacionais de jovens negros e negras em escolas de ensino médio da rede pública, bem como promover o enfrentamento das desigualdades raciais no ambiente escolar.

Esta é a segunda edição do edital de Gestão Escolar para Equidade – Juventude Negra. Em todo o país, foram inscritos 185 projetos no total, de 24 estados e do Distrito Federal. Os dez projetos selecionados contarão com o apoio das instituições responsáveis pela seleção e receberão até R$ 35 mil para financiar suas atividades.

O projeto da unidade de ensino alagoana, que tem como tema “Protagonismo Negro: Embates no Cotidiano Escolar”, prevê trabalhar a trajetória dos estudantes e ampliar a discussão das questões raciais no cotidiano e no projeto político pedagógico da instituição. A proposta inclui ainda um cronograma de atividades sobre a temática, a exemplo de semanas de literatura e cinema.

Contribuição

A diretora da unidade de ensino, Vanúbia Oliveira, relata que o projeto vai contribuir para melhorar os resultados educacionais não somente de estudantes afrodescendentes, mas de toda a comunidade escolar. De acordo com a gestora, a escola desempenha um papel importante na valorização da diversidade cultural e combate ao preconceito.

“Para nossa escola, foi uma alegria imensa sermos aprovados entre os dez melhores projetos nacionalmente reconhecidos. Sabemos que o ambiente escolar é local de construções de referências, mas, em muitos casos, infelizmente, também é onde se tem o primeiro contato com o racismo. Por isso, queremos fazer da nossa escola um espaço de enfrentamento ao preconceito e de valorização da diversidade”, disse a gestora.​