Postado em 20/03/2017 às 14:18 por Assessoria em Maceió 0

AMA investe em capacitação para estimular eficiência na gestão




Por Assessoria

Como a eficiência na gestão pública passa pela capacitação não apenas dos prefeitos, mas, sobretudo, dos técnicos municipais, a Associação dos Municípios Alagoanos- AMA – começou hoje uma nova rodada de conhecimentos, agora voltada para a prestação de contas. O curso é uma parceria com a Escola do Tribunal de Contas e a União dos Vereadores, para ampliar o leque de pessoas beneficiadas.

Todos os Entes jurisdicionados que recebem recursos públicos precisam entender os processos de prestação de contas, obrigatórios e que se renovam constantemente. A tecnologia tem ajudado e reduzindo os processos físicos e estimulando os virtuais, mais rápidos e simplificados. Mesmo assim, todos eles requerem conhecimento específico e, por essa razão, o presidente da AMA, Hugo Wanderley entende a importância da Associação em manter esse canal de transferência de conhecimento de forma perene. Ao abrir o curso, o superintendente Wlademir Araújo disse que o papel constitucional da AMA é também o de promover o estímulo a eficiência porque ela é uma necessidade. A mesma função pedagógica destacada pelo presidente da uveal, Fabrício Faustino.

Segundo o Analista de Sistemas da Escola de Contas, Kerchenn Elteque a contabilidade municipal é complexa e requer aprimoramento constante dos contadores e controladores. São recursos diferentes, vindos de meios diferentes e cada um requer prestação diferenciada.

A prestação de contas não está limitada ao prazo anual. Essa, que deve ser entregue até o dia 30 de abril é a mais complexa, este ano com o diferencial que é a grande renovação de prefeitos. O analista, porém, não descarta a responsabilidade do ex-gestor que é corresponsável por todas as informações que forem prestadas.

Daniel Bernardes, diretor técnico da Escola, destacou a responsabilidade da AMA em promover o curso e disse que que o TC não quer encontrar erros e, sim, oferecer ferramentas de gestão que evitem falhas nas prestações. “A palavra de ordem, agora, é aproximar, acompanhar os processos em tempo real, o que já é possível em muitos casos. Mas, para isso, os gestores precisam atuar os dados no Carduge, que é o cadastro único de gestores. É a partir dele que os municípios vão conseguir avançar”, complementa Daniel.


Deixe seu comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.