Foto: Thiago Davino /CadaMinuto/Arquivo 14086705190023 Assembleia Legislativa de Alagoas

Um cardápio que inclui lagosta, paelha, quiche, arroz mexicano, petit gateau, profiteroles, coquetel, variedade de carnes, peixes e frutos do mar entre outros itens compunham a lista de refeições de um pregão para aquisição de um buffet,  lançado pela Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE). O registro foi publicado em Diário Oficial do Estado em dezembro do ano passado, mas a Mesa Diretora da Casa determinou nesta quarta-feira (11) que o documento fosse refeito e os itens considerados supérfluos fossem retirados.

O pregão presencial nº 006/2016 foi publicado nas edições do dia 14 e 27 de dezembro em primeira e segunda chamada. Ele está disponível no site da Assembleia na parte de licitações e tinha como finalidade requisitar preços para serviços de buffet que atendessem as necessidades da Casa.

Nos anexos do documento está uma extensa lista com sugestões de cardápios para café da manhã, almoço, jantares, coffee breaks, lanches e coquetéis. O pregão tinha como objetivo contratar empresa responsável pelo fornecimento dos itens em um prazo de 12 meses.

Clique aqui e veja o documento

A lista de opções chama a atenção, já que inclui itens de luxo, como salmão, lagosta, lombo, picanha, paellha, risotos, massas, filés de peixe e outras opções para almoço e jantar, brioches, rosca russa, pavês, profiteróles, petit gateau, carolinas, sucos, quiche, entre outros pratos para lanches, café da manhã e coquetéis.

O pregão separou em dois lotes a contratação, sendo um principal que deveria oferecer café da manhã para 500 e um mil pessoas, coffee break para quatro mil pessoas, coquetel e brunch para 1.100 pessoas, lanche box para 1.500 pessoas e almoço para 500 e 1000 pessoas.

Já outra cota seria para duas opções de jantar, um para 500 pessoas e outro para 1000 pessoas.

A diretoria de comunicação da Assembleia Legislativa de Alagoas disse ao CadaMinuto que o pregão não foi homologado e que portanto, não houve contrato com nenhuma empresa para prestar o serviço. O processo ao chegar ao gabinete do presidente Luiz Dantas para homologação, foi devolvido à Divisão de Licitação.

Hoje, o 1º secretário da Mesa Diretora, o deputado Isnaldo Bulhões informou que se reuniu com os demais integrantes da Mesa e estes decidiram cancelar o pregão e que o documento fosse refeito e os itens considerados supérfluos fossem retirados da lista. “Esse serviço não foi homologado e muito menos contratado. Daí  a determinação de refazê-lo, excluindo da lista os itens considerados supérfluos e que jamais foram requisitados pela atual gestão, em eventuais solenidades públicas”, explicou o deputado.

A diretoria de comunicação disse ainda que o novo documento prezará por manter itens mais próximos da realidade da Casa e que o pregão lançado em dezembro colocava à disposição opções mas que nem todas elas seriam solicitadas pelos deputados.