Reprodução/Facebook 103f7834 8cd2 45ef 817d 57b9cf981a38 Coach financeiro indica caminhos

Os efeitos da crise no Brasil são reais e se refletem no cotidiano da população. A feira encareceu, o combustível também, bem como os serviços em geral, como saúde e educação. Para não entrar em uma bola de neve de dívidas, é preciso estabelecer prioridades.

Para quem tem encarado como missão impossível ajustar o salário com os gastos, o professor e coach financeiro, Alandson Araújo, é categórico: é preciso deixar o cartão de crédito de lado – um dos maiores geradores de endividamento, e fazer um mapeamento geral de cada centavo que sai da carteira. Fazer anotações diárias e identificar para onde o dinheiro está indo é indispensável.

As tradicionais planilhas evoluíram e o controle dos gastos pode ser feito por aplicativos no celular, como o Minhas Economias e o Mobills, este indicado pelo coach. Ambos são gratuitos, seguros e muito intuitivos. Basta registrar despesas e receitas, sem vincular a qualquer dado pessoal, como conta bancária ou número do cartão de crédito.

Para parar a bola de neve das dívidas e conseguir se reorganizar, a saída é fazer o planejamento. “Quanto que eu ganho? Quanto que eu gasto? Primeiro, tem que resistir às tentações, como promoções, e criar planos financeiros. ‘Se gasta mais do que ganha, precisa renegociar as dívidas e fazer com que as parcelas se encaixem no orçamento”, orienta Araújo.

Para aqueles que não conseguem manter as finanças em dia, pedir ajuda pode ser o melhor caminho. Entre os serviços ofertados, está o coaching financeiro que utiliza diversas ferramentas para equilibrar as finanças do cliente. “Lidar com o dinheiro é mais uma questão de inteligência emocional do que de conhecimento”, ressalta Alandson Araújo.

Durante as sessões semanais de coaching, o cliente é incentivado a buscar soluções. “São trilhados caminhos que vão contribuir para que o indivíduo saia dessa zona financeira perigosa. ‘No coaching financeiro, são trabalhados o autoconhecimento, a inteligência emociona, é feito o mapeamento das dívidas e sugeridas estratégias para que saia do status de devedor para investidor”, afirma.

Para quem não pode pagar pelo serviço, o jeito é seguir os passos indicados neste texto. Em resumo:

>> Mapear as contas, anotando todas as despesas diárias. Identificar onde estão os maiores gastos e buscar formas de reduzi-los. (Baixe um aplicativo de gerenciamento financeiro no celular);

>> Parar de fazer compras no cartão de crédito;

>> Resistir às tentações, como promoções. Se não tiver dinheiro para pagar à vista, não compre;

>> Caso necessário, renegociar as dívidas e dividi-las em parcelas que caibam no orçamento.