Postado em 10/03/2016 às 18:50 por em Omar Coêlho 0

Conto com você!





Nos meus 55 anos de vida, com uma visão mais apurada para a política desde os meus 16, lembro-me da tensão do Pacote de Abril, em 1977, com o fechamento do Congresso Nacional, pelo General Geisel e as eleições com a figura dos senadores biônicos. Lembro-me de Geisel falando em abertura e o General Figueiredo levando adiante o desenrolar do processo democrático, como também as greves do ABC Paulista, a campanha das Diretas Já. Vibrei com o surgimento da Frente Liberal, torci para que Aureliano Chaves fosse presidente da República, sofri com o calvário de Tancredo Neves e tive medo que os militares não permitissem a posse de José Sarney, não por gostar de Sarney, este nunca me enganou, mas pela perspectiva do retrocesso político.

 

Acreditei e fui enganado pelo Plano Cruzado, me envolvi na eleição de Afif Domingues, acreditando que poderíamos ter um presidente que “juntos chegaríamos lá”. Vi o nome da minha Alagoas ser enlameado do Oiapoque ao Chuí, graças ao processo de corrupção supostamente iniciado com dinheiro de campanha presidencial. E nós, homens de bem, tendo que ouvir o Brasil falar da tal “República das Alagoas”. Tive meu dinheiro “roubado” de minha conta, por conta de mais um plano econômico fajuto.

 

Defendi, e fui para as ruas comemorar, o impeachment, pensando que estávamos vivendo um momento único na história e que isso não iria mais se repetir. O povo verdadeiramente unido é forte e poderoso tomando as ruas e vibrando em defesa da democracia.

 

Veio a posse de Itamar Franco e o país começou a respirar aliviado, a grave crise econômica e política, já não pesava tanto e o ar respirado era suportavelmente melhor do que o anterior. FHC propunha um plano econômico que parecia plausível e que deu certo. Elegeu-se e o Brasil continuou vivendo um clima de esperança, com a moeda se fortalecendo e com alguns avanços sociais.

 

Após oito anos de FHC, o brasileiro resolveu optar pelo metalúrgico, que já havia perdido três eleições presidenciais seguidas, que liderara aquelas greves no ABC paulista e que tinha um partido combatente, denunciador de tudo, inclusive, avesso à corrupção, defensor do serviço público de qualidade etc. e tal.

 

Apesar de não ter votado nesse cidadão, confesso que gostei. Passei a noite e a madrugada diante da televisão assistindo os programas montados pela Globo e comecei a pensar que o povo tinha acertado. Já era tempo de se voltar os olhos para os mais carentes, haja vista que a miséria continuava a imperar, apesar dos avanços econômicos do país.

 

Entretanto, tudo em vão, pois todos conhecem o que aconteceu: “Nunca antes da história deste país” se roubou tanto! Organização criminosa é “pinto” para definir a forma como operam esquemas dentro desse bando de malfeitores, que acabaram com a estabilidade econômica, que estão tirando o pão da boca daqueles que eles, lá no início fizeram comer, mas não fizeram crescer. Não se tem o que comer, aprender, estudar, mas eles se especializaram em roubar. Os principais líderes se não estão presos, respondem aos mais variados processos.

 

Esse artigo, na verdade, é uma convocação: Vamos às ruas, no próximo domingo, dia 13, temos que resgatar o Brasil para os Brasileiros! Não se omita, precisamos de um Brasil melhor para todos!

 

Conto com você!    


Deixe seu comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.