Técnicos da Secretaria de Estado da Saúde apresentaram ao Ministério da Saúde propostas para a redução da mortalidade infantil em Alagoas. A ação faz parte do planejamento de ações estratégicas do governo federal para acelerar a redução das desigualdades na Amazônia Legal e região Nordeste.

Segundo o ministério, cerca de 27 bebês com menos de um ano de vida morrem no Nordeste a cada mil nascimentos, enquanto no Sul do país o índice de mortalidade infantil é de 12,9. No Estado, a taxa de mortalidade infantil caiu de 26,7 por mil nascidos vivos em 2007 para 18 no ano passado.

De acordo com a secretária-adjunta da Saúde, Julia Levino, o coeficiente de mortalidade infantil vem seguindo a redução do indicador nacional. O que dificulta os dados concretos é a subnotificação dos óbitos. A meta nacional de notificação de óbitos é de 80%, mas Alagoas, em 2007, ficou abaixo, com 72,1%. Isso se deve a existência de cemitérios clandestinos no Estado.

”Embora a meta de redução da mortalidade infantil do governo federal seja de 5% ao ano, até 2010, Alagoas quer avançar mais. Para tanto é necessário o engajamento das prefeituras”, diz Levino.