O Governo de Alagoas está prestes a passar por grandes mudanças na área da Tecnologia da Informação (T.I.), um serviço essencial e que impacta em todas as esferas governamentais. À frente destas mudanças está o Instituto de Tecnologia em Informática e Informação do Estado de Alagoas (Itec), entidade responsável por vários serviços de T.I., como a Infovia, rede que leva internet aos órgãos de governo e trafega dados; a hospedagem de sistemas governamentais, o desenvolvimento de sites e softwares, consultorias técnicas e digitalização de documentos.

A migração da atual Infovia para a nova é a primeira grande mudança. Além de utilizar uma tecnologia mais moderna e com links de maiores velocidades, a nova Infovia trás serviços como o Voip (voz sobre IP), que vai permitir uma melhor comunicação entre os órgãos do Governo através da rede sem a dependência de operadoras e sem tarifações.

“Nossa perspectiva é de melhorar os serviços e reduzir custos. Além da economia, o Voip trará benefícios na comunicação entre diversos órgãos do estado. Como exemplo, a comunicação entre postos da polícia, a fiscalização nas fronteiras, melhor integração entre postos de saúde entre outros”, explica o diretor-presidente do Itec, Jorge Almeida.

Os serviços de dados e Internet na nova Infovia chegam a ter um valor até 13 vezes menor que os atuais e possibilidade de acesso com velocidades até 100 vezes maiores. No contrato antigo, o valor por MB (megabyte) do PAC (Ponto de Acesso Cliente) na capital e região metropolitana era de R$ 1.911, no contrato atual o valor cai para R$ 199, já no PAC interior o valor era de R$ 2.197 e cai para R$ 237, o valor da Internet cai de R$ 693 para R$ 51.

“Com a redução dos valores, poderemos ampliar a quantidade de links e prestar serviços mais robustos. O novo contrato prevê o aumento no número de pontos de acessos (links) de mil para 1,5 mil. Outra vantagem do novo contrato é a atualização tecnológica que conta com equipamentos de última geração. A Internet vai ter início de funcionamento em março, quando os usuários, mesmo os que ainda estão na antiga rede, devem sentir a mudança”, explicou Jorge Almeida.

Outro grande desafio, além da migração da Infovia, será a melhoria do sistema de telecomunicações do Estado. O Itec, pela primeira vez, passará a cuidar de toda a gestão de telefonia do Executivo, antes feita pela Agência de Modernização da Gestão de Processos (Amgesp).

“Nossa meta é fazer o uso racional da telefonia, só comprar o necessário, reduzir gastos e conseguir ganhos operacionais. A previsão é que haja uma nova licitação para telefones móveis e fixos até meados de 2015, e temos a missão de celebrar contratos com tarifas justas baseadas na realidade do mercado e levando em consideração o ganho de escala, compras de alto volume”, confirma o diretor-presidente do Itec.

Como projeto futuro, o Itec pretende melhorar a estrutura do Datacenter, local onde ficam concentrados os sistemas governamentais, com a criação de uma sala cofre para incrementar a segurança. A construção de uma rede própria (Metro) é outro projeto futuro, a exemplo da rede própria construída para o sistema de Videomonitoramento.

A gestão de software é também um dos projetos prioritários do Itec, que quer incrementar os serviços de consultoria prestados. O instituto deseja ir além do hardware e fazer melhores contratos de desenvolvimento de softwares para o Estado, além de fomentar a área de desenvolvimento de sistemas através da qualificação do seu pessoal a fim de atender as demandas do Estado.

A virtualização de documento é também uma meta a ser atingida. Atualmente, o Itec conta com um Núcleo de Digitalização de Documentos (NGED), mas o Núcleo ainda não tem autonomia para fazer a virtualização de processos.

“É um projeto de grande economia pro Estado, além de diminuir a quantidade de papel e material para impressão e a redução dos custos com o trâmite de processos entre as secretarias, a virtualização ainda acelera o andamento dos mesmos”, conclui Jorge Almeida.

Para ter sucesso nesses projetos, o Itec pretende dar continuidade ao Modelo de Excelência em Gestão (MEG). No fim do ano passado, o instituto conquistou o Prêmio Estadual da Qualidade (PEQ) na categoria Compromisso com a Excelência após implantar o modelo no ano anterior.