Servidores municipais que paralisam as atividades a partir desta segunda-feira (23) realizam manifestação em frente a sede da Secretaria de Finanças, no Centro de Maceió. Os manifestantes se concentraram em frente à sede do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindspref) e seguiram em caminhada pelas ruas da capital alagoana. A entrada do órgão foi bloqueada pelos servidores e só é permitida a saída de funcionários e contribuintes.

A greve dos servidores, decidida em assembleia na última quarta-feira (18), se deu depois que o prefeito Cícero Almeida não aceitou o reajuste salarial pedido pela categoria, oferencendo inicialmente um aumento de R$1,00. Em seguida, Almeida tentou negociar um reajuste de 5%, também não aceito pelos servidores. Mesmo com esse aumento, os servidores não chegaria a receber nem um salário mínimo.

O sindicalista Reinaldo Agusto, criticou o aumento de apenas um real. "Isso é uma vergonha, como pode o prefeito receber um aumento de 85% e nós servidores apenas um real?", indagou.

A principal reivindicação dos servidores é pela regularização da tabela criada pela Lei 4.079/2000, onde ficou estabelecido o Plano de Cargos e Carreiras (PCCs). A lei determina que cada nível deve receber 60% a mais que o anterior. Na prática, funcionários de nível médio deveriam receber 60% a mais que o fundamental, e superior 60% a mais que o médio.