Olival Santos Walquiria Valquiria Taveiros

Enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem que atuam em salas de parto e recepção de recém-nascidos nas maternidades e casas maternais do Estado serão atualizados sobre boas práticas obstétricas e neonatais. O curso é promovido pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e a primeira etapa será iniciada na próxima terça-feira (25) e prossegue até quinta-feira, a partir das 8h30, no auditório do antigo Sesp, no município de Penedo.

O treinamento tem como objetivo promover o acolhimento da gestante e do bebê por meio da qualidade e humanização do parto. A atualização vai ser baseada na metodologia contextualizada, ou seja, os profissionais irão narrar suas experiências e as instrutoras do curso farão uma análise das práticas.

“A idéia é repassar as boas práticas obstétricas e neonatais como, por exemplo, incentivar a deambulação (caminhar) da mulher em trabalho de parto e os exercícios respiratórios”, explicou Walkiria Taveiros, gerente da Área Técnica de Saúde da Mulher da Sesau, acrescentando que ao todo serão dez cursos, perfazendo um total de 400 profissionais atualizados.

Dentre os temas que serão abordados estão a organização do serviço e materiais necessários tais como triagem, alojamento conjunto, sala de pré-parto e parto; identificação dos fatores de risco na gravidez, parto e puerpério; humanização do parto; fisiologia do trabalho de parto; assistência aos recém-nascidos e esterilização. Os municípios que participam desse primeiro curso são Penedo, São Brás, Coruripe, Piaçabuçu e Teotônio Vilela.

Saúde da Mulher - A Área Técnica da Saúde da Mulher envolve ações de promoção, prevenção, diagnóstico, tratamento e recuperação. O foco é qualificar os profissionais para desenvolverem atividades recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS).


“Trabalhamos com avaliações de risco para evitar práticas desnecessárias e prejudiciais à saúde da mulher. A rede de serviços disponibilizada pelo SUS visa reduzir os níveis de morbidade e mortalidade materna e neonatal”, disse Walkiria Taveiros