A banda inglesa Radiohead, principal atração do festival Just a Fest, que aconteceu no Rio de Janeiro nesta sexta-feira, brilhou na primeira visita de sua carreira ao Brasil e envolveu com sua particular atmosfera, em um misto de tensão e emoção, milhares de pessoas que esperaram mais de 15 anos por esse show.

O grupo liderado por Thom Yorke coroou a uma noite de música eclética que contou também com a banda de eletrônica alemã Kraftwerk e com Los Hermanos, banda carioca que voltou a se reunir após dois anos sem tocar.

Apesar de não ser uma banda das massas, mas sim de culto, o Radiohead conseguiu reunir 25 mil pessoas na Apoteose, que não mais que um mês atrás serviu de palco para o desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro.

Com a música 15 Steps, a banda de Oxford abriu um show em que repassou a maioria das canções de seu último álbum, In Rainbows, que entrou para história por, em uma decisão inédita do grupo, ter sido vendido pelo preço que os fãs acreditavam ser justo pagar.

All I Need, Bodysnatchers e Nude foram responsáveis por um dos momentos mais intensos do espetáculo. Emoção que chegou a seu ponto máximo quando a banda lembrou um pouco do passado ao tocar músicas badaladas dos anos 90.

Karma Police, Pyramid song, Idioteque e Paranoid Android, já no final, também envolveram o público, sobre o qual a voz de Yorke conseguiu se elevar em muitos momentos, até conseguir se unir à da plateia em No Surprises, outra das músicas emblemáticas da banda.

Em sua primeira aparição no Brasil, no entanto, o Radiohead teve que dividir o papel de destaque com Los Hermanos, um dos maiores expoentes da música carioca dos últimos anos que, em abril de 2007, resolveu dar um tempo e que voltou a se reunir unicamente por ocasião deste festival.

Embora com o local ainda por encher, o Los Hermanos estava em casa e não decepcionou seus fiéis seguidores, que já pareciam cansados de esperar para ouvir, quem sabe pela última vez, O Vencedor, Sentimental e outros sucessos.

O tom extravagante da noite foi dado pelos alemães do Kraftwerk, autênticos dinossauros da música eletrônica que estão prestes a completar 40 anos em atividade e que, hoje, só contam com um membro de sua formação original.

Protegidos atrás de seus computadores e apoiados por projeções digitais em suas costas, os alemães transformaram, durante pouco mais de uma hora, a Apoteose em uma pista de dança improvisada, na qual não faltaram as indispensáveis Tour de France, Manmachine e The Robots.

Após passar pelo Rio, o festival Just a Fest terá uma segunda e última etapa em São Paulo, antes que o Radiohead continue com seu minitour pela América Latina, que já o levou ao México e que o levará ainda a Argentina e Chile.