Um órgão público que trabalha com avaliação de fatos e informações de segurança tem obrigação de saber o que está ocorrendo, por quem e quando. E no caso dos protestos que têm varrido o país, os arapongas engoliram mosca, literalmente.

Resumindo, não conseguiram dar nenhuma resposta a qualquer órgão da Presidência da República. Do ponto de vista institucional, do ponto de vista da segurança nacional, é uma falha terrível e uma demonstração de mau gerenciamento.

E a culpa pelas moscas engolidas é das redes sociais. Pelo menos essa é a desculpa. Exatamente por isso, foi criada uma equipe para monitorar o Facebook, Twitter, Instagrm e ainda o serviço de mensagens por celular WhatsApp para acompanhar os manifestantes.

Oficialmente, o objetivo dos homens da Agência é conhecer o roteiro, o volume da manifestação, a infiltração de vândalos, participação de grupos políticos ou de financiadores.

Essa estrutura de acompanhamento das manifestações foi montada as pressas. O certo é que os protestos passam agora a ser monitorados diariamente por um sistema online Mosaico. Esse sistema é capaz de acompanhar cerca de 700 assuntos definidos pelo ministro-chefe do GSI, o general José Elito.

Então meninada, agora vocês estão todos monitorados pela Agência Brasileira de Inteligência, seja no chão ou nas redes sociais.