Mesmo 13 anos depois do fim da banda Mamonas Assassinas, o espírito Mamona está vivo em vários fã-clubes, como um na Zona Leste de São Paulo. No sábado (21), foi dia de encontro Mamona.

A banda cover está na estrada há mais de 13 anos. Portanto, fazem cover dos mamonas desde os tempos dos Mamonas de verdade. Têm a bandeira usada em vários shows, até LP e outras lembrancinhas. A brasília amarela cover oficial e, pelo jeito, uma nova geração de fãs vem por aí. Tem gente que nunca viu um show da banda, mas tem tatuagem mamona nas costas. 

 A banda durou pouco, mas fez história e virou filme. O documentário, gravado em Los Angeles, fala sobre os cinco jovens alegres que uma tragédia levou nos primeiros dias de março, 13 anos atrás.

Tudo teve início quando o vocalista Dinho tentou montar uma banda chamada Utopia, na cidade de Guarulhos, num conjunto chamado "Parque Cecap".

A Utopia durou pouco, com um som pesado e Dinho até tentou dar uma de Guns and Roses. Eles caíram na estrada, fazendo show e tentando vender esse disco até que o Dinho conseguiu uma madrugada num estúdio para gravar uma música nova. Na manhã seguinte, no tal estúdio, nascia a inacreditável "Brasília amarela".

Antes disso, o Dinho tentou abrir o show do Guilherme Arantes no grande ginásio de Guarulhos, conhecido como Tumeuzão, mas a prefeitura vetou. Ele disse que voltaria um dia e voltou. O primeiro show da nova banda já começou com um hiper sucesso. O Mamomas virou mania nacional e conquistou padrão internacional. Mas, infelizmente, não houve um segundo disco.